Maracujá!

Sítio web pessoal de António Manuel Dias e família

Chegou a hora de mudar o Hino Nacional

O nosso Hino Nacional, como símbolo da República Portuguesa e do seu povo, deve reflectir na generalidade o seu sentir, as suas ideias e os seus desejos, as suas aspirações. Deve ser o espelho da alma do povo português, não apenas para nos vermos a nós próprios, mas também para que os outros povos saibam quem e como somos. É por esta razão que penso que o nosso Hino se encontra desactualizado.

Tenho uma ideia de como deveria ser o nosso hino. Terá de ser um hino que em vez de falar de heroísmos passados do nosso povo, descreva o que gostaríamos de ser no futuro; um hino que em vez de nos convidar a pegar em armas, nos vincule ao respeito da liberdade; uma canção que em vez de nos querer levar à vitória, nos incite à fraternidade e respeito pelo nosso semelhante.

Pois bem, eu conheço uma canção assim, todos nós conhecemos — não é preciso inventá-la, porque já existe. E é também uma canção intimamente ligada à luta do povo português pela liberdade, ligada à sua vitória sobre a ditadura que o prendeu durante quase cinquenta anos, composta e cantada por um dos poetas e músicos que mais fez por essa conquista. É uma canção que é hoje de todos nós e que já há muito cantamos para celebrar o dia da libertação. Essa canção chama-se “Grândola Vila Morena” e penso que a sua letra é o melhor argumento que podemos dar para a tornar o novo Hino Nacional:

Grândola Vila Morena

Grândola vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti ó cidade

Dentro de ti ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

José Afonso in “Cantigas do Maio

Facebook

Comentar (RSS)  |  Trackback

7 comentários:

Em 19 de Outubro de 2010 às 22:01, Idalina Barros escreveu:

Completamente de acordo. Dispensa qualquer comentário. Se quiser eu assino uma petição. Conte comigo


Em 20 de Outubro de 2010 às 0:38, António escreveu:

Quando tiver coragem para lançar uma petição envio-lhe uma mensagem. Para já, é apenas uma ideia doida, como as outras desta secção :)

BTW, há um problema qualquer com o seu site…


Em 27 de Outubro de 2010 às 15:22, Idalina Barros escreveu:

Ainda bem que hás ideias doidas.

Já pode visitar o meu site se quiser que já está arranjado. Não sei o que se passou mas o filho já resolveu. http://www.idalinacriacoes.com


Em 21 de Outubro de 2013 às 14:12, SMagno escreveu:

Sinceramente não vejo onde o nosso povo se pode ver reflectido nessa canção, muito bonita por sinal.

Começou muito bem no que deve definir um hino nacional, mas depois descambou quando apresentou a alternativa.

Um dos problemas sociais que enfrentamos atualmente, talvez nas últimas decadas, assenta no desrespeito total pelos nossos pergaminhos e antepessados, e por um continuar ladaínho de “…lá fora é melhor…” enquanto continuamos a confirmar que continuamos a ser dos melhores que existe no mundo, em quase tudo falhamos abismalmente na gestão governativa (não confundir com politica), mas trocar o hino por algo que actualmente já não significa muito, é de lamentar.

E não fale no 25 de Abril pff, uma “guerra” de oficiais que não queriam ir para o ultramar e mandavam outros no lugar deles e que começaram a ser ultrapassados na carreira por esses, e que se descontrolou levando ao que levou (ainda bem!), não serve como exemplo para muito, nem para motivar as pessoas que gritam sem fundamento “25 de Abril sempre”.

O hino que temos adapta-se perfeitamente e tem das letras e música mais bonitos e motivadores de todos.

Esta é a minha, e de muitos outros, opinião.

Cumprimentos.


Em 26 de Novembro de 2013 às 16:39, Jó das Uvas escreveu:

Oh camarada, vá dar banho ao cão.


Em 26 de Novembro de 2013 às 16:40, Jó das Uvas escreveu:

E vós que alimentais estas palermices, ide trabalhar, ide trabalhar.


Em 26 de Novembro de 2013 às 16:48, Jó das Uvas escreveu:

Camaradas Idalina Barros, António e SMagno, que estais vós a fazer?
Portugal tem IDENTIDADE.
Tem também uma mão cheia de montes de cáca que só serve para afundar mais e mais este PAÍS.
E não vos esqueceis que quanto menos fizerdes menos nos desenvolvemos.
“Brandos costumes”, onde é isso?
Povo totó


[Fonte RSS dos comentários a este artigo]

Comentar:

HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

*