Maracujá!

Sítio web pessoal de António Manuel Dias e família

Porque não quero ter filhos

Esta é uma “explicação” para aquelas pessoas extremamente irritantes que em conversas casuais ou nos encontros familiares me perguntam: “Então e tu, para quando é o bebé?” e quando ouvem a resposta: “Para nunca” olham-me como se fosse uma ave rara, colocam logo um ar muito condescendente e dizem: “Ainda és nova, daqui a uns anos vais querer, de certeza” ou, “quando tiveres a minha idade vais ter vontade de ter um filho” ou ainda, e esta deixa-me sempre de olhos esbugalhados e literalmente (mas momentaneamente) sem palavras: “mas tens que ter um filho, senão nunca te sentirás uma mulher de verdade”. O quê?! Serei eu então uma mulher falsa e a minha mãe nunca me avisou? Está bem, faço uma concessão à argumentação de que o objectivo de qualquer espécie (incluindo a nossa) é a reprodução e passo a explicar a minha contra-argumentação. Apesar dos instintos “animais” ou não que temos ao longo da nossa vida, somos antes de tudo, seres racionais, que podem e devem pensar sobre o que fazem. E foi isto, simplesmente, que eu fiz. Eu nunca quis ter filhos, não quero ter filhos e admira-me muito que venha a querer ter filhos. Ter filhos, ou mais precisamente, conceber filhos, neste mundo e neste momento da História Humana vai contra os meus princípios e acho mesmo que é um crime!  Que aqueles que têm filhos não se sintam ofendidos. Eu respeito a posição de cada um (mesmo que não concorde com ela) mas também exijo que respeitem a minha.

O mundo está a rebentar pelas costuras, os recursos cada vez são menos e as pessoas cada vez são mais. Estima-se que daqui a 20/25 anos (segundo cientistas que julgo competentes) apenas metade da população mundial terá acesso a água potável. As guerras sucedem-se, os desastres naturais também. Infelizmente a estupidez humana parece também crescer proporcionalmente. Os partidos de direita (re)começam a ganhar visibilidade um pouco por toda a Europa e perdem-se do dia para a noite direitos conquistados arduamente por outros mais corajosos e menos hipócritas que nós. A África na sua maioria tem demasiada gente com demasiada fome, a Doença vai-se abatendo sobre ela sem que ninguém queira fazer nada e com a Santa ajuda da Religião (qualquer versão) ainda se há-de propagar mais, mas este será um assunto para outro artigo num futuro mais ou menos próximo. Entretanto, a América consegue sozinha acumular as mais altas taxas de estupidez mundial e parece-me que este caso não precisa de explicações. Cada vez há um maior hiato entre ricos e pobres. Os primeiros são cada vez menos e os últimos cada vez mais e blá blá blá, poderia continuar nisto durante horas e horas. Agora, por favor, expliquem-me, porque carga de água quereria eu colocar uma criança num mundo destes? Só se fosse realmente muito sádica! Desculpem, mas eu não consigo mesmo ver outra razão. Só se experimentasse um grande prazer com o sofrimento dos outros. Parece-me que é quase impossível viver sem sofrimento ou sem causar sofrimento a outros e só para vos dar um exemplo, pensem nos salários miseráveis, no trabalho infantil, na exploração de outros seres humanos que são necessários para podermos aceder a bens (por vezes essenciais) um bocadinho mais baratos. Este mundo está todo errado…

Mas existe ainda outro argumento muito importante que só vem reforçar a minha posição. Qual é a legitimidade de colocar mais uma criança neste mundo quando já cá há tantas que não têm absolutamente ninguém? Pensem bem. As crianças que eu pudesse ter iriam ocupar o lugar de outras que já existem e que passam os dias em centros de adopção há espera que alguém queira ser a sua família. Aqui surge invariavelmente a expressão muito chocada das pessoas que exclamam: “mas assim nunca será mesmo o teu filho/a! Sabes lá como é que ele/a vai sair. Nunca vai ter os teus genes!” Por favor…eu acho que se esforçarem mais um bocadinho até conseguem fazer melhor e debitar ainda mais estupidez em menos tempo! Mas por que é que alguém no seu estado normal há-de querer outro indivíduo no mundo igualzinho a si? Porque é que os filhos são sempre vistos como a possibilidade de um “Eu pequenino”? Uma cópia de si próprio? Cada ser humano é um indivíduo único, diferente de todos os outros e ainda bem que assim é! Eu não quero um filho para satisfazer os meus desejos, para realizar os meus sonhos, para ser o que eu não fui. Se algum dia vier a adoptar uma criança será em primeiro lugar para dar a esse indivíduo a possibilidade de uma vida melhor em todos os sentidos e se esse indivíduo me trouxer satisfação e realização pessoal tanto melhor. Se não, também não é esse o objectivo principal. A maior parte das pessoas que têm filhos e com quem tenho falado, ou tiveram-nos por “acidente” ou no fundo, para satisfazer um desejo de realização pessoal, transformando-se a criança num meio para atingir um fim puramente egoísta. Por favor, uma criança é um ser-humano, não é um meio de conseguir seja o que for.

Eu não quero ser assim. E reclamo o direito de viver de acordo com os meus princípios e reclamo que esses princípios sejam respeitados mas, principalmente, reclamo que PAREM de me chatear com a história de ter filhos!

Facebook

Comentar (RSS)  |  Trackback

288 comentários:

Em 18 de Agosto de 2012 às 21:06, Josiane escreveu:

Passei quase a tarde toda lendo TODOS os comentários. Foram todos muito úteis. Acho que o “x” da questão é se perguntar “por que ter” e “por que não ter filhos”; ou seja: autoconhecimento. Pensar na sua história de vida, na sua personalidade, no seu tipo de casamento, na vontade real ou não do seu conjuge querer ser pai, enfim….PENSAR, ANALISAR-SE….
E não ter filho ou filhos porque todo mundo tem. Ou porque é o esperado por todos.
Casei aos 26 e até os 32 anos não pensava em filhos, não sentia vontade de ser mãe… Mas aos 32 vi que eu nao engravidava apesar de não estar me protegendo. Vi que tinha algo “errado” comigo… Foi assim que me senti até mais ou menos 1 ano atrás… Por conta desse sentimento de inferioridade, baixa auto-estima, capricho…etc…eu fiz 3 fertilizações in vitro e 2 inseminações. Nem assim fiquei grávida. Por conta disso, descobri que desenvolvi um problema por causa de tantos hormonios: miomas gigantes.
Olha, pra resumir…eu queria dizer que eu precisei passar por tudo isso, pra perceber que era um capricho, um problema emocional meu, nao uma vontade real. Eu me sentia péssima em me sentir diferente das pessoas.
A terapia tem me ajudado… e hoje vejo que na minha vida não cabe um filho, EU SOU MULHER, e esse papel de mãe eu não quero exercer. Já tenho papeis demais: esposa, profissional, estudante, filha, dona de casa… chega… E EU???? Onde fico?
Estou me descobrindo, dia a dia… faltou coragem para me assumir. Espero que eu me fortaleça a cada dia. E vocês todos me ajudaram. MUITO OBRIGADA!


    Em 16 de Outubro de 2014 às 22:15, Vanessa escreveu:

    Adorei o comentário da Josiane,
    Um dia me veio uma vontade de ser mãe, por me sentir “atrás” e inferior també, daí comecei a fazer terapia, e ver que não preciso disso, eu sou feliz e não sabia hehehehehhe

    E também sou mulher… Graças a Deus….


    Em 12 de Novembro de 2014 às 17:01, carla cristina de borba escreveu:

    Boa tarde Li ali o que você pensa e sou de acordo,tipo ainda não decidi se vou ter filho fico pensando em como criar sera que vou ter paciência, dinheiro e tempo essas coisas.Outra que me preocupa é que amo meu corpo não to me achando não tenho corpo de modelo nem nada sou normal mais não tenho estrias nem cicatrizes e isso me deixaria muito mau se eu tivesse certamente não ficaria muito arrasada acho que temos que ter auto estima.Outra é que a ex do meu marido engravidou pra segurar ele ela mesma fala que foi uma atitude de amor em desespero,acho ridículo é claro.A filha deles fica jogada em casa sozinha ela gosta mais de mim do que da própia mãe já tentamos pegar a guarda dela porque aqui em casa é melhor pra ela sempre tem um ou outro direto com ela.Mais fico pensando em tudo isso sinceramente não tenho vontade de ter filhos por outro lado sei que meu marido iria ficar muito feliz se acontecesse.Mais apesar de gostar muito da filha dele eu não tenho instinto materno nenhum quando vejo um neném não sinto nada tipo todos ficam ai que lindo e blabla eu não acho bem sem graça não faz nada sei la claro que jamais eu maltrataria uma criança mas não me vejo amamentando passando sono pq a criança ta com fome dor sei la.E não acho nada egoísta quem não quer ter filhos é uma escolha acho egoísmo quem tem dez filhos ta passando necessidade e vai la e faz mais um pra ajudar isso sim acho egoísmo é minha opinião


Em 22 de Agosto de 2012 às 20:19, Alinne Rubiana escreveu:

Primeiramente gostaria de parabenizar ao trio e especialmente a que escreveu o post, pois prendeu minha atenção desde o primeiro parágrafo. Não é por menos que tenha recebido tantos comentários até hoje.
Só queria dizer que não tenho opinião formada no momento, mas concordo com seus argumentos que são factuais.
Os comentários são explêndidos, únicos… Não passei a tarde inteira lendo, mas acho que cada um pode contribuir para quem gosta do assunto.
Para refletir:
Tudo nesta vida tem um propósito, basta correr atrás das respostas. Se nascemos é porque o que falariamos ou fariamos neste mundo tem um propósito. Este propósito pode ser gerado por meio de você também, ou Não!?!


Em 9 de Setembro de 2012 às 22:28, Marlene 22 anos e sem filhos escreveu:

É uma tristeza que maior parte das opiniões aqui nesse blog, são apologistas de “NÃO TER FILHOS”. Respeito todas as opiniões, mas mesmo que não pareça, acho que esses comentários são dotados de alto nível de egoísmo e incapacidade de amar. acho um absurdo, desculpas do género de que o mundo anda torto e existem muitas calamidades para gerar mais um ser vivente. afinal de contas também foram gerados, e cá estão a comentar nesse blog. quem cuida de nossos filhos é Deus, independentemente das calamidades desse mundo. é claro que deve ser de nossa livre e espontânia vontade decidir té-los. O ser humano, não sei por que motivo, está a fugir do própósito natural pelo qual foi destinado. Amar,procriar e adorar. Por estas causas, procuramos conjugues,sentimos solidão,temos compaixão, sentimos vazio,e logicamente temos óvulos e espermatozoides (estas células não estão aí de feitio). Não adianta procurar atalhos e se convencer deles como razão de vida. atalhos esses como,resumir a vida em trabalhar, juntar uma fortuna, viajar,e fornicar. estes são apenas complementos da vida.Não preenchem o vazio inato do ser humano,e ainda ficamos a orbitar ao circulos num mesmo ponto. Do mesmo jeito que é triste ver crianças em orfanatos,e famintas, também é muito triste ver pessoas idosas acabando os seus ultimos dias em lares de idosos sem ter nenhum familiar para lhes apoiar, e ouvir leituras de testamentos patrimoniais onde fortunas são deixadas em animais de estimação ou apropriadas pelos bancos.Vamos lá por a nossa mão na consciência e deixar de nos enganarmos a nós mesmo.É egoísmo sim, é falta de sentimentos sim que leva as pessoas a não querer ter filhos sem uma razão lógica. A vida é muito curta!!! pensem nisso.
Abraços,,


    Em 2 de Outubro de 2012 às 14:59, Lucy escreveu:

    Vc é que esta sendo egoista em colocar todos que nao querem ter filhos no pacote “trabalhar, juntar uma fortuna, viajar e fornicar”. Ter filhos nao é para todos, e se vc quiser ter os seus, tenha e seja feliz, e cuide muito bem deles, senao a sociedade ira cuidar, de um jeito ou de outro. Que mal há em deixar fortunas para o animalzinho se a fortuna é minha? Que mal há em vc deixar sua fortuna para seu filho, se a fortuna é sua? É falta de sentimento seu assumir que todos querem aquilo que vc considera natural e abencoado por deus, se nem sequer todos acreditam no mesmo deus que vc ou sao ateistas. Vc está querendo tirar o direito que o ser humano tem de ESCOLHA, cada um faz sua propria felicidade, e nada na vida – nem mesmo ter filhos – vai garantir felicidade a ninguém. Aliás, na verdade estou cansada de ver pela internet filhos sendo motivo de sofrimento. Portanto, se para vc – para sua vida – filhos sao bons e te fazem feliz, vá por isso. Aproveite também e ensine a eles que nem todo mundo tem a mesma ideia de felicidade. Todos que estao aqui nesse blog nao tiveram escolha quanto a nascer ou nao, mas podem muito bem escolher para sí mesmos a maneira como viverao suas vidas. E isso, nem vc, nem deus, nem ninguém pode tirar, porque isso sim é egoismo puro!
    Abracos


      Em 3 de Outubro de 2012 às 2:57, Paulo escreveu:

      Lucy. Completando tudo que escreveu, creio que o que realmente falta à maioria das pessoas é EMPATIA. É fácil criar conceitos e julgar as pessoas tomando como base sua própria vida. O brasileiro é especialista nisso e precisa sair de seu “mundinho”,apesar de eu ter pouquíssima fé nisso, já que a “massa” se deixa manipular facilmente. Outro ponto que tocou foi o conceito de FELICIDADE. Muitos ainda fantasiam com o padrão de vida americano dos anos 50: Pai, Mãe, um menino,uma menina e um cachorro, todos morando em uma bela casa com frente gramada, anexa a um jardim impecável, rodeado pela famosa cerquinha branca. Uma tal globalização levou esse “padrão” por água abaixo a algum tempo. Também não pretendo ter filhos, apesar de gostar de crianças. Ao invés disso vou retribuir aos meus pais, parte da vida que me deram, uma vez que integralmente seria difícil. Sou egoísta? Não tenho sentimentos?


        Em 6 de Outubro de 2012 às 10:28, Lucy escreveu:

        Também me esforco ao máximo para retribuir à minha familia e amigos um pouco do bem que me fazem. Isso que voce falou, Paulo, com certeza acontece, mas nao é só com os brasileiros nao. O mundo inteiro fica absorvido nessa idéia de que ter filhos automaticamente te faz uma pessoa mais valiosa à sociedade, madura, feliz, completa. Fosse assim, os casos de abuso infantil nao seriam, em sua maioria, causados pelos próprios pais que acompanhamos todos os dias pela midia e pelas estatisticas da polícia.
        E mais um detalhe: eu já trabalhei voluntaria em uma pequena casa de idosos por 3 meses. Dos 30 senhores e senhoras ali, TODOS tinham filhos. Pergunte-me quantos deles eram visitados? Pergunte-me quantos ligavam para perguntar de seus pais? Pergunte-me quantos choravam por se sentirem abandonados depois de darem o sangue pelos seus filhos? Vá visitar, converse com eles, nem que for um dia somente, Marlene, e verá que jamais se deve confiar que, se criar seus filhos direito, eles estarao lá quando precisar deles. Triste, mas é a realidade.


          Em 21 de Março de 2014 às 17:17, Luca escreveu:

          AMEI ISSO QUE ESCREVEU LUCY,UM DOS MOTIVOS PARA EU NÃO QUERER TER FILHOS,AJUDO EM OFARNATAOS,ASILOS,PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E TE DIGO A REALIDADE É OUTRA, MAS O SER HUMANO PREFERE FICAR NA ZONA DE CONFORTO, AO INVÉS DE AJUDAR AO PROXIMO, PREFIRO USAR MEU TEMPO DISPONÍVEL NISSO, MAS ESSA SOU EU, CADA UM COM SUA OPINIÃO,ATÉ GOSTO DE CRIANÇAS, MAS SEI QUE JAMAIS PODERIA ME DOAR VERDADEIRAMENTE EM ALGO QUE NÃO ACREDITO!!


    Em 14 de Janeiro de 2013 às 14:38, Jaqueline escreveu:

    Se Deus cuida de nossos filhos ele já me tira a responsabilidade de ser mãe, será que ele esqueceu das crianças da África, do Nordeste, Orfanatos e tudo lugar que existe descuido dos pequeninos???
    De fato estou ha doze anos com meu esposo, nós pensamos igualmente em relação de nao ter filhos.
    Cada um tem sua escolha e deve ser respeitada por qualquer ser vivente, e se esse não entende é o seu grau de entendimento, respeito também.
    Não sinto nem um pingo de remorso por não ter filhos, sinto um certo alívio de ter um pensamento elevado e planejado, isto é, não tem pequeninos meus por aí comendo arroz e feijão e ta bão porque Deus cuida de tudo.
    Me poupe a vida é feita de escolhas e planejamento, pode ver que o mal planejamento abre portas para muitas desgraças e infelicidades, viver é um risco, mas não planejar isto sim é ser egoista.
    Aliás todos os meus irmãos tem filhos e todos que me conhecem dizem que eu deveria ter os filhos dos meus irmãos pois possuo muita paciencia, e ai quem tem falta de amor?
    Alias estou indo para o quarto semestre de pedagogia e pretendo trabalhar com crianças especiais, amo a natureza, amo viver, acima de tudo amo planejar pois amo o meu próximo, e ficaria muito infeliz de ve-lo lamentar.
    Essa é minha opinião e estou aberta aos novos conhecimentos e idéias pois estou em constante transformação, abraços para todos os pais e os não pais!


    Em 18 de Janeiro de 2013 às 13:30, sara de lara escreveu:

    e quem não pode mesmo ter filhos??? é um ser menos abençoado??? desprovido de compaixão e de amor??

    triste…


    Em 18 de Janeiro de 2013 às 14:55, sara de lara escreveu:

    meu ex marido tinha esparmatozoides com defeitos e eu ovulos perfeitos aos 28 anos de idade ( na época) e não conseguiamos engravidar…. resultado: 2 inseminações e uma fertilização in vitro ( sem sucesso ) não era pra ser,,, enquanto tem pessoas q tem ovulos e espermatozoides,, fazem filhos drogados ou sem nenhuma intenção de faze-los e depois os dispensam, ou deixam para igreja o criar,,, ou depois os usam de alguma maneira. e tem gente que planeja, tem os filhos e sabe cria-los e obtém êxito na educação da sua prole..e a vida é assim,,,mas eu pergunto: Sou menos mulher por não ter tido?? Claro que eu nasci com o desejo de ser mãe (inerente a minha condição de humana) qdo criança, brincava de boneca, de familia,,,mas não deu e eu não quis mais me furar pra tentar procriar,, ja fui alvo de muito preconceito (sim,,, e de gente q acompanhou minha história) ja senti raiva, pena de mim, alivio.(e quando senti alivio por não sofrer mais tanta pressão,daí veio a culpa). e depois me perdoei uaua,, varios sentimentos juntos.. hj tenho 40 anos..
    procuro guardar minhas feridas no departamento de tristezas… (eu assumo, senão não estaria lendo esses comentários)sei que elas sempre estarão lá.. mas também existe o departamento de alegrias e nele procuro ser um ser humano melhor a cada dia,, me respeitando e respeitando o outro,, pq nunca sabemos a historia do outro, não sabemos o que a vida reserva pra nós… com filhos ou sem eles..


    Em 16 de Fevereiro de 2013 às 20:31, Marisa Santos escreveu:

    Achei “engracado” vc dizer ” é falta de sentimentos sim que leva as pessoas a não querer ter filhos sem uma razão lógica. A vida é muito curta!!! ” entao vamos pensar juntas: vc é egoista por nao ter filhos ou por pensar que a vida é curta…???(pensando em vc mesmo certo?? voce é egoista por nao querer ter filhos ou porque ” também é muito triste ver pessoas idosas acabando os seus ultimos dias em lares de idosos sem ter nenhum familiar para lhes apoiar”.
    Quer dizer a crinaca nem nasceu e já tem um proposito na vida ou seja cuidar de vc
    velha enfim !!!! eu nao tenho opiniao formada sobre ter filhos ou nao mas é preciso ter lata com os seus argumentos ….


    Em 16 de Fevereiro de 2013 às 20:33, Marisa Santos escreveu:

    Achei “engracado” vc dizer ” é falta de sentimentos sim que leva as pessoas a não querer ter filhos sem uma razão lógica. A vida é muito curta!!! ” entao vamos pensar juntas: vc é egoista por nao ter filhos ou por pensar que a vida é curta…???(pensando em vc mesmo certo?? voce é egoista por nao querer ter filhos ou porque ” também é muito triste ver pessoas idosas acabando os seus ultimos dias em lares de idosos sem ter nenhum familiar para lhes apoiar”.
    Quer dizer a crianca nem nasceu e já tem um proposito na vida ou seja cuidar de vc
    velha enfim !!!! eu nao tenho opiniao formada sobre ter filhos ou nao, mas é preciso ter lata com os seus argumentos ….


    Em 20 de Maio de 2013 às 1:33, Thaís Souza escreveu:

    Acho ridículo quem usa argumentos de “quem vai cuidar de vc quando envelhecer” Para justificar que se devem ter filhos. Inúmeros dos idosos que se encontram em casas de repouso tem filhos que sequer se lembram de que seus pais abdicaram a muita coisa para criá-los. Eu não quero ter filhos, pelo menos não agora ou em um futuro próximo. E se quisesse, também não utilizaria essa razão. Cada pessoa se torna o que quer quando adulta, e ao colocar um filho no mundo significa adquirir uma responsabilidade sem que se criem expectativas de que ele será o ser que os pais almejam.


    Em 13 de Setembro de 2013 às 0:50, Fernanda escreveu:

    Filha voce precisa se internar…. tenha penca de filhos e depois volte aqui pra nos contar rsrsrsrsrs….


    Em 29 de Outubro de 2013 às 2:08, Nicole Pires escreveu:

    Engraçada vc tocar no assunto que pessoas idosas ficam no asilo por não ter nenhum familiar, acho que vc nunca foi em um pq a grande maioria que esta lá foi os próprios filhos que colocou …Se informe mais!!!! E não estou dizendo isso pq não quero ter filhos mas sou uma pessoa racional e a questões levantada no texto não é incapacidade de amar, mas sim de uma visão realista do mundo pra que a HIPOCRISIA.


    Em 23 de Janeiro de 2014 às 5:38, Alba escreveu:

    Desconto, falar de Deus nessa situação é complicado,não existe em lugar nenhum na Bíblia que Deus força a pessoa a ter filhos, filho e uma escolha do casal e uma opção, Deus até cuida mas não educa, isso é obrigação dos pais..o que acho engraçado é pensarmos que filhos trazem felicidade, que estrutura o relacionamento, ou quiser que quando ficarmos velhos eles iram fazer companhia, isso é um erro..Se precisamos de filho para isso então nunca fomos felizes de fato, como o caro leitor disse que Deus cuida dos filhos, tenho certeza que cuida da gente na nossa velhice.


      Em 9 de Setembro de 2014 às 18:42, Luiza escreveu:

      Então você não leu a Bíblia, “Crescei e multiplicai-vos, enchei e dominai a terra” Não te lembra nada?

      Pessoas que só sabem procriar, mas não sabem ler ou escrever direito, não cursaram uma faculdade, como você acha que vão interpretar essa frase?


        Em 13 de Setembro de 2014 às 5:01, Elisa escreveu:

        Nós já crescemos, nos multiplicamos e dominamos a Terra. Inclusive estamos colocando em risco as outras espécies e até a nossa com nossa população excessiva. Ou seja, os propósitos de Deus já foram cumpridos neste quesito.


    Em 18 de Junho de 2014 às 1:42, Renata escreveu:

    “incapacidade de amar”
    “Amar,procriar e adorar”
    Para amar, não é preciso procriar! Assim quem me parece egoísta é você, pois parece que pensa que só existe amor por filho. Amor é universal e não apenas filial!


    Em 10 de Setembro de 2014 às 17:34, Camila escreveu:

    Não é questão de egoísmo. Algumas nascem com o desejo de ter e outras não. Não podemos ser crucificadas como egoístas ou incapazes de amar por causa disso.
    Esse tipo de coisa sempre aconteceu, quantas mulheres antigamente não tinham esse desejo mas não tinham a opção que temos hoje.
    E realmente, tem tanta criança abandonada nesse mundo, porque não dar esse amor a elas?
    Egoísmo é querer ter um filho sangue do seu sangue por achar que ele vai ser melhor do que os outros e ser incapaz de amar a outro que não seja.


Em 23 de Outubro de 2012 às 18:58, Suzy escreveu:

Me impressiona o quanto as pessoas escrevem e falam bobagem. Tenho 33 anos, sou casada a 7 anos e não tenho filhos, na verdade nunca tentei engravidar, claro que tmb acho que é uma questão de escolha, mas alguns aí falam tolices de +, se vai ter um filho, louve a Deus, se não quer ter porque o mundo está muito cheio adote um, ame um ou dois, ou três…Tem gente aí que fala que não quer ter porque não é amado, sente raiva por já estar velho e não poder ter mais. CRIANÇA É A COISA MAIS LINDA QUE DEUS CRIOU, A ELE SEJA A HONRA A GLÓRIA E O LOUVOR.
Para aqueles que não querem ter por que a religião não permite, deixe de bobagem, não são apenas 144 mil que vão para o céu não, como os líderes tentam incutir.

GOD BLESS YOU!


    Em 7 de Janeiro de 2013 às 15:58, Poliana escreveu:

    vc se admira das pessoas escreverem besteira? kkkkkk
    Melhor vc nem ter filhos mesmo coitados…

    Essas jeovás são osso duro de roer mesmo… hihihi…

    144 mil? omg!!
    num salva nem uma cidade inteira? que tipo de Deus é esse?

    Ainda bem q é vc e n eu q tem tão pouca fé..

    não discuto religiões, mas em se tratando de seita num poderia deixar passar… rs

    Obrigada, ri litros do seu coment!
    ashuahuahsausha….


      Em 29 de Outubro de 2013 às 2:17, Nicole Pires escreveu:

      Querida acho que respeito é bom e ate você deve gostar né…então se informe antes de usar o termo seita!!! Ate porque o assunto aqui nem é esse.


    Em 9 de Setembro de 2014 às 18:45, Luiza escreveu:

    DEUS não criou criança, e sim, você e se marido gozando. Verdade tem que ser dita.


Em 3 de Janeiro de 2013 às 20:55, Simone escreveu:

texto idiota e sem fundamentos coerentes. Não quer ter filho mas sai “vomitando” um monte de besteira com relação às pessoas que optaram por terem filhos ou que querem ter futuramente. Seja feliz na sua escolha e não encha o saco de quem não pensa igual. Não acho que seja obrigada a sair adotando crianças por aí, só porque existem várias abandonadas. Tenho todo o direito de ter uma criança saída da minha própria barriga. Se eu for ficar pensando na fome e na sede do mundo no futuro, acho melhor eu sentar e esperar a morte então..Se eu tenho condições financeiras, meu corpo é perfeito, QUERO SIM gerar um filho meu, se eu tenho condições psicológicas e a vontade aflorou, eu tenho todo o direito sim de ter um filho..daí vem uma tola escrever um monte d bobagens, e já que ela prefere morrer do que ter um filho, resolve falar um monte de asneiras, praticamente fazendo um terrorismo às pessoas que pensam o contrário dela. Não pretende ter filhos? òtimo!!! é um favor mesmo que você faz à humanidade, porque sinceramente, acho que voce seria capaz de fazer uma besteira com uma criança sob seus cuidados.Mas não venha encher o saco de quem pensa o contrário..Preguiça de gente como você..RECALCADA!


    Em 4 de Janeiro de 2013 às 2:48, Lili escreveu:

    Simone. O que é isso? como pode achar que a autora está falando besteira?(o blog é dela e a vontade dela tb…) é essa a forma que usa para defender a sua VONTADE DE ENGRAVIDAR?é uma pena..
    não costumo usar palavras de baixo calão… mas te digo que o “recalque” está em vc, ou por se sentir presa por crianças ou por não estar conseguindo ser mãe.
    Não despeje suas frustrações em quem tem opinião oposta à sua… não é assim que se consegue apoio… ofendendo quem vc nem sabe quem é.


      Em 18 de Janeiro de 2013 às 13:49, sara de lara escreveu:

      Pessoas??? nada é garantia de nada nesta vida… cada um de nós tem os seus desejos, suas vitórias, suas perdas seus sonhos, suas forças e fraquezas,,, seus medos ,erros,acertos, seus momentos de amadurecer,de crescer,de se arrepender,de voltar a errar… tudo isso tem que ser respeitado,,,, pior do que ter ou não ter um filho é não respeitar o próximo,(que poderia ser o seu filho) é ficar julgando o outro. Toda escolha implica em perdas e ganhos.. não tem como fugir!!!Nós humanos!! ò!!! quanta insegurança nos assola,,,pois não temos o real controle das nossas vidas nem da nossa morte e isso é assustador … O mundo é oque é,,, existe vida, morte, sofrimento,felicidade, injustiça, oportunidade… tem doenças, curas, bondade, maldade,,,velhice, vaidade, egoismo ,compaixão..ó tudo isso junto e misturado…na mesma panela…

      A nossa relação com a vida é uma via de mão dupla forrada de questionamentos.. estes que duram até o momento que fechamos os nossos olhos para sempre…e tudo se acaba (pelo menos carnalmente falando)


      Em 9 de Setembro de 2014 às 18:57, Luiza escreveu:

      Simone,

      Temos o direito sim, de opinar sobre quem deseja ter filhos, (liberdade de expressão garantida por nossa Constituição Federal). Até porque isso afeta toda a sociedade, entendeu dona Simone? Ou por acaso seu filho vai ficar preso sem sair de casa? Ele pode se tornar um bandido, estuprador, fazer coisas erradas que vão prejudicar a sociedade entendeu? Por isso, temos o direito de “vomitar” palavras suas.
      Aliás, você deveria pagar o triplo de impostos, pois pretende colocar mais um ser no mundo, e gastar mais recursos naturais do planeta. Por isso o texto sugere adotar, já estamos explodindo de tanta gente não acha? A prova são os orfanatos lotados de crianças…


    Em 13 de Janeiro de 2013 às 11:52, Lucy escreveu:

    Realmente, Simone, vc saiu dos seus limites. Direitos de ter filhos vc tem todo, assim como temos o direito de nao te-los, e também buscar outras opcoes, de acordo com o que acreditamos. E se vc é feliz com sua opcao, nao venha em um blog desses “vomitá-la” de forma agressiva, e em um texto também de opiniao, mas contraria à sua, ofender a autora ou ao pessoal que aqui se expressa. E nao chame seu post de expressao, porque chamar alguém de preguicoso, recalcada e tola em um post nao pode ser considerado liberdade de expressao, e sim ofensa e falta de respeito. Aprenda mais como se expressar, para que amanha seus filhos nao usem essas mesmas palavras para ofender vc no futuro.

    Em outras palavras, seu post até que poderia ter sido útil, mas, colocado nessas palavras, nada mais é do que um “texto idiota e sem fundamento”, uma “enchecao de saco” a quem nao pensa como vc.


    Em 21 de Março de 2014 às 17:09, Luca escreveu:

    PREGUIÇA DE GENTE COMO VOCÊ ” CHESSUS VOCÊ FALA BONITO HEIM “, MAS ESCUTA SÓ ALGUÉM PEDIU SUA OPINIÃO KKKKKK… VAI SE TRATAR E GASTAR SEU TEMPO LIMPANDO COCÔ DE CRIANÇA, ALIÁS AJUDO UM ORFANATO QUE TÁ PRECISANDO DE GENTE DO “BEM ” COMO VOCÊ, QUE TAL ” FLOR “, BEIJU ME LIGA !!!


    Em 15 de Junho de 2014 às 18:49, patricia escreveu:

    Realmente acho muito interessante ver, como as pessoas reagem ao descobrir que seus desejos não são apreensíveis por outras pessoas. Muitos não se incomodam, pois geralmente sabem o que querem se sentem confortáveis com sua decisão, mas outros reagem de madeira hostil, como foi o caso da Simone, mas o mais interessante de tudo é que os que reagem de maneira hostil e desrespeitosa, ainda procuram informações sobre NÃO QUERO SER MÃE ou simplesmente se dão ao trabalho de ler o conteúdo total do artigo.
    Simone, realmente você precisa dar atenção a essa sua “vontade” de ter filhos, porque se você veio até aqui leu tudo, e se deu ao trabalho de escrever esse texto ofensivo, é por que há um conflito aí em você.
    Você não parece ter condições psicologicas para ter um filho.
    Sou psicologa ha 15 anos por 8 anos trabalhei com crianças e infelizmente o que mais via dentro do meu consultório era o resultado de “pais que acreditavam ser psicologicamente saudáveis”, no entanto, mudei meu foco para adultos, pois realmente vi que o problema das crianças estava nos pais.
    Você tem todo o direito de ter seu filho, assim como a autora do post tem todo o direito de não querer tê-los, mas uma coisa é inegável: Ela tem toda a razão no que disse e isto está muito além de um desejo de ser mãe.
    So uma pergunta: Você sabe o que significa recalque? Acredite, todos somos, você também é :)
    Espero que você seja muito feliz em sua decisão, assim como espero que a autora seja muito feliz com a decisão dela.
    Patrícia.


      Em 14 de Julho de 2014 às 17:09, MONICA escreveu:

      ISSO MESMO DRa PATRICIA CONCORDO PLENAMENTE COM VC …E AS VEZES ME PERTURBAVA ESSE PENSAMENTO DE NAO TER VONTADE DE TER FILHO… TENHO 31 ANOS E NAO VEJO O POR QUE DE TER FILHO, ATÉ SOU COBRADA PELA SOCIEDADE E FAMILIA DO MEU MARIDO … MINHA SOGRA CHEGOU ATE DIZER (ARRUMA UMA CRIANÇA PRA MIM CUIDAR E VC VERÁ QUE MEU FILHO MELHORA COM VC!! ABSURDO COLOCAR UM INOCENTE NO MUNDO PARA CONSERTAR UM CASAMENTO.. FILHO TEM QUE SER AMADO, DESEJADO… EU NAO FUI DESEJADA PELO MEU PAI NA GESTAÇAO DA MINHA MAE …NAO QUERO COMETER OS MESMOS ERROS … GOSTARIA DE MANTER CONTATOS COM VC BJJS FICA COM DEUS


    Em 25 de Setembro de 2014 às 15:25, Jeferson escreveu:

    Pobre do homem que não só casar, mas ter a coragem deter um filho com você Simone, uma pessoa amargurada, mal educada, egoísta e desprovida de caráter.

    Melhore como Ser Humano, se é que você se enquadre na classificação de Ser Humano.


Em 4 de Janeiro de 2013 às 2:58, R.C.O escreveu:

Meu marido, está louco para ser pai… mas eu n consigo ter vontade e nem coragem, tenho 30 anos, estamos juntos há dez… em aniversários de parentes nem tenho mais vontade de ir… a pressão me encomoda, num queria que fosse por descuido… ou por terem me feito acreditar que ia ser bom e depois eu ver q é diferente… queria q partisse de mim.. de dentro… mas a vontade se cala com um medo enorme, e dentro desse medo, fica o medo de perder o amor da minha vida… ele quer muito.. até minha gineco disse q não posso tirar dele esse direito.. estou muito confusa, tenho medo de engordar horrores, alem do mais eu fumo.. não quero prejudicar ngm..tem dias q acho que n sou normal…mas essa situação está insustentável.


    Em 13 de Janeiro de 2013 às 11:38, Lucy escreveu:

    r.c.o:

    Se é muito medo, acho que seu problema é outro, talvez vc queira ter filhos e o medo te paralisa. É diferente da autora do texto, ou de outros aqui que nao queiram ter filhos, muito embora algumas das suas justificativas facam parte também dos childfree. O medo nao pode ser confundido com a decisao saudável em nao ter filhos, eu a aconselharia a fazer uma avaliacao, descobrir da onde vem o seu medo e tentar lidar com ele. Nao fazer algo por medo é desperdicio de vida, mas faze-lo sem entender suas causas – ainda mais colocando uma crianca no meio disso – pode ser mais prejudicial ainda. Converse com seu marido, explique seus medose, se necessário, fale com um profissional.

    Ah, sua gineco tem razao, se é o sonho do seu marido vc nao pode impedi-lo. Ajudaria, porém, perguntar a ele quais os motivos dele para ter filhos, deixar claro que o esforco deve ser de ambos. Mas se nao é da sua vontade ter filhos, nao tenha. Alguns casais conseguem passar por cima dessa diferenca e viver um relacionamento muito feliz. Mas, se ela estiver pressionando vc a ter filhos por causa disso, faca um favor a si mesma e troque de médico.


Em 8 de Janeiro de 2013 às 19:26, carla escreveu:

Eu também não quero ter filhos. Tenho trauma e consciencia disso. Fui criada no meio de tantas crianças, minha mãe criou 6 filhos dos outros, e quando estes cresceram infernizaram a vida dela. A expulsaram de casa, bateram nela, a roubaram, a exploravam mandando lavar, passar e cozinhar pra eles sendo que ela já era idosa. Achei um absurdo! Então decidir que não vale a pena. Tem gente que me fala que sentirei falta na velhice para cuidar de mim, mas não acredito nisso. Minha mãe era pra ser a mulher mais bem cuidada do mundo mais suportou horrores sendo que nem dela eles eram. Não sou contra quem quer ter filhos, mas um apenas e sendo biologico ta bom, porque se não for o arrependimento será maior, não sou contra também aos adotivo, mas a pessoa tem que pensar bastante, pois se os bioloficos estão matando pais, imaginem os adotivos, porém tem adotivos que cuidam muito melhor que o biologico, tudo é questão de escolha do ser humano e ficar atento ao que o futuro o reserva.


Em 30 de Janeiro de 2013 às 14:53, Leticia escreveu:

Ando pensando em não ter filhos também, colocando no papel os pros e os
Contras, perdendo noites de sono.. Entre os pros, o que mais me
Preocupa é a questão de ser solitária na velhice com meu marido após sua morte ou a
Minha… Mas filho não é segurança de compania ao
Mesmo tempo! Penso em ter uma vida descomprimíssada, viver o momento, viajar com
Meu marido, conhecer o mundo, sem nenhuma responsabilidade a não ser nós mesmos. Vocês ter alguma preocupação como a minha? Sobre a solidão?
Uma grande controvérsia ai eh que sei que meu marido tem a vontade de ter um filho, e que seriamos ótimos pais pois nos amamo muito.


Em 30 de Março de 2013 às 12:24, Tali escreveu:

Eu acho que cada um tem o direito de escolher o que é melhor para si. Para defender a sua opinião não precisa agredir o outro ou querer diminuir a pessoa que não pensa como vc. É tão simples!
Outra coisa; não é o fato de ter ou não ter filhos o que faz de uma pessoa egoísta ou generosa. Isso não faz nenhum sentido. Existem casais que optaram por não terem filhos e no entanto ajudam abrigos de crianças abandonadas ou recolhem animais nas ruas, até por terem mais tempo que um casal que tem que se dedicar ao seu filho. Assim como tb existem casais que possuem filhos mas que tb ajudam abrigos de necessitados. E existem aqueles que tem filhos e só fazem por eles.
Então pessoal, vamos aprender a respeitar a vontade de cada um, mesmo que seja diferente da nossa. Cansamos de ver pais que colocam crianças no mundo e acabam largando com os avós ou até mesmo abandonando nas ruas. Por isso penso que devemos dar muito valor a essas pessoas que se perguntam antes de gerar uma criança. São pessoas responsáveis, que estão em falta no nosso país, pois a grande maioria das pessoas não analisa sua real vontade de querer ter filhos e até mesmo sua condição econômica de poder criar um filho. A grande maioria saem parindo e largando para o mundo criar.


Em 10 de Julho de 2013 às 21:31, Gabriel escreveu:

Comentário removido por abuso de linguagem.
— Administrador.


Em 29 de Agosto de 2013 às 3:24, Maísa escreveu:

Eu não quero ter filhos, mas meu namorado quer bastante, mas não vou ter filhos só porque ele quer. Tenho uma opinião sobre a velhice: é puro egoísmo quem bota outro ser humano no mundo só pra cuidar de você na velhice. Muitos colocam seus filhos no mundo e esquecem que eles terão vida própria, pensamentos próprios. Pensem, filhos não vão ser como você quer que eles sejam. Amo minha família, mas nasci numa muito conservadora, e acho que vem daí minha vontade de ser childfree. Eu tenho 20 anos e tenho calafrios quando penso em ter filhos, mas respeito quem quer ter. Sinto pena de meninas de 17, 20 anos engravidando, porque só serão mulheres frustradas futuramente. Acho errado quem coloca alguém no mundo só porque a sociedade diz que a mulher só é feliz se for mãe. A mulher moderna sabe o que é bom pra ela.


    Em 27 de Janeiro de 2014 às 16:48, Eduardo escreveu:

    Maísa, tenho 32 anos e também não quero ter filhos. Tenho os meus motivos. Estou sendo obrigado a terminar um namoro de 2 anos e meio com uma pessoa maravilhosa e que amo muito por causa de nossa divergência sobre essa questão. Ela sonha em ser mãe, é seu principal objetivo na vida. O meu é outro. Tive que tomar uma decisão dura e triste de terminar agora para que ela possa conhecer outra pessoa que pense como ela e possa fazê-la feliz como mãe e mulher. É muito complicado tomar esse tipo de decisão mas é melhor ela sofrer uma vez com a separação do que sofrer a vida toda por não ser mãe. Ou ter que me ouvir reclamar a vida toda que não fiz o que eu queria da vida porque os filhos não permitiram, devido ao tempo e dinheiro gastos para criá-los. Sou realista acima de tudo. Filho é lindo, pra quem quer ter. Um fardo para quem não quer. Espero que você encontre seu caminho tb. Abraços.


      Em 22 de Março de 2014 às 20:21, Maísa escreveu:

      Obrigado por compartilhar a sua opinião. É frustrante e difícil tomar a decisão que você tomou e compartilho do seu pensamento. Abraços


Em 7 de Outubro de 2013 às 23:34, Cátia escreveu:

Olá boa noite.
Não li todos os comentários mas deu para perceber o geral de toda a questão.
Eu acho que ter filhos realmente é escolha de cada um, mas o que me chamou a atenção foi o comentário de que filhos são motivos de sofrimento. Não são motivo de sofrimento, mas de amor puro e de preocupação como se tem por qualquer ser humano, pai, mãe, irmãos, amigos, enfim.
Muito é confundido e mal interpretado.
Mas que a escolha é de cada um, é verdade.
Eu também sou daquelas pessoas que acha que gerar um filho é gerar amor, mas isso sou eu.
E realmente existem muita crianças a passarem fome, necessidades, e com muitas doenças, mas não nos podemos esquecer que em África ( que foi mencionado) elas existem porque eles não tem o mínimo de proteção e praticam sexo sem se preocuparem com o que estão a gerar (mais fome, doenças) enfim…
Cada povo é seu povo, tudo é uma questão de respeito.
Felicidades para quem quer e não quer ter filhos.


Em 5 de Novembro de 2013 às 20:16, RAQUEL escreveu:

Desculpa, mas dizer que é egoísmo? Eu e meu marido tbm não queremos ter filhos e até penso na possibilidade de adotar sim uma criança já grandinha. Vc julga muito mau as pessoas. Dizer que temos incapacidade de amar? Quer ter filhos tenha as dúzias se quiser. Meça as palavras. E lembre-se, filhos são bençãos, sim, mas não é garantia de plena felicidade. Acho um saco mulher que tem filho dizer aos 4 cantos do mundo que se tornou uma pessoa melhor. Então o mundo era pra estar melhor. Parir não muda carater de ninguém. Quando a pessoa é boa gente ela é, independente de ter parido ou não. Mal caráter tbm abre as pernas, engravida e tem filhos.


Em 29 de Novembro de 2013 às 14:49, GENILZA escreveu:

FILHO, POUCA ALEGRIA E MUITO SOFRIMENTO.


    Em 13 de Agosto de 2014 às 12:31, Fábio da Silva escreveu:

    Falou pouco, mas disse tudo!


Em 4 de Dezembro de 2013 às 14:11, Líria escreveu:

Interessante seu artigo. Já perguntei a muitas mulheres o por que de elas terem decidido engravidar e ter filhos, e as respostas na maioria das vezes são evasivas e sem fundamentos, como “porque eu quis”.

Acho engraçado o discurso “mas eu quero ter filhos”,
daquelas(es) que nem param para pensar da onde esse desejo vem.

Antigamente, as mulheres eram mais objetificadas do que hoje, casava-se para ter filhos, para “oferecer” à seu esposo uma descendência e filhos para ajudar no trabalho braçal. Nesse período, as mulheres que não engravidavam era vistas como “problemáticas”.
Para mim, muito do desejo de ter filhos hoje vem com essa carga do passado, exatamente como você coloca no artigo: de que somente seremos vistas como mulheres de verdade se tivermos filhos.
E sim, o “ser vista” ao contrário de “sentir-se como” é proposital.

Tenho 20 anos, e ainda não decidi totalmente se quero ou não ter filhos. Penso que experienciar uma gravidez deve ser incrível, e por um lado talvez esse ponto pese na minha decisão de ter UM filho. Mesmo esse motivo, claro, é egoísta, pois ele gerará consequências que vão além da minha esfera de controle, no caso, a geração de um novo ser, e talvez esse ponto peso contra a decisão.
Quanto a, de repente, se as condições financeiras me permitirem, eu desejar compartilhar de minha estabilidade para colaborar na formação de mais crianças, já estou decidida a adotar. É preciso muito pouco estudo de psicologia para entender o quanto o ambiente é mais importante na formação da personalidade do que a genética.

Fico muito triste ao ver as milhares de adolescentes que engravidam “por acidente” em nosso país e me pergunto se a situação poderia ser outra se as campanhas não focassem tanto em “use camisinha/métodos anticoncepcionais por causa das doenças”, mas nas consequências de ter um filho, o que isso realmente representa na vida daquele novo ser e de toda a sociedade.


    Em 9 de Setembro de 2014 às 19:04, Luiza escreveu:

    Líria, ótimo comentário, as campanhas não focam em propagandas na mídia, em relação a não ter filhos, porque a Igreja, que não vou citar qual, mas todos devem desconfiar, não permite. Infelizmente somos um “Estado Laico” somente no papel. Por debaixo do tapete, ela governa nossas vidas.


Em 11 de Janeiro de 2014 às 2:47, erminia escreveu:

Filhos, não sei e não quero saber o que é isto. ah,ah,ah!


Em 31 de Janeiro de 2014 às 15:10, Sueli escreveu:

Eu não tenho filhos, graças ao bom Deus =D
Deixo essa função para quem gosta e ainda bem tem quem goste, assim como ainda bem tem quem não goste… senão no mundo não ia caber tanta gente ;)


Em 27 de Fevereiro de 2014 às 11:43, Marilena escreveu:

Líria,
Fiquei feliz e impressionada por ler uma reflexão tão madura e inteligente vindo de uma garota tão jovem. Parabéns e obrigada por me fazer sentir que ainda tem gente que vale a pena nesse mundo.


Em 4 de Março de 2014 às 3:21, Michel Souza escreveu:

Argumentos religiosos não devem (e não podem) ser levados em consideração
em assuntos como este. A igreja NÃO TEM autonomia para controlar assuntos
como fertilidade, condições sexuais ou escolhas cotidianas. Cabe exclusivamente
a cada um de nós, como seres pensantes (para alguns), assumir suas responsabilidades
ao invés de transferí-las à algo astral ou metafísico. O comodismo intelectual é o que nos
impede de progredir como civilização e reivindicar contra as injustiças sociais, das quais
TODOS somos vítimas frequentes. Injustiças essas que nos fazem pensar vinte vezes antes
de procriar.
TER FILHOS NÃO É UM RITUAL E ENGRAVIDAR NÃO TEM RELAÇÃO COM CRENÇAS.

Eu poderia escrever por horas sobre minhas opiniões (rs), mas paro por aqui.
Parabéns pelo texto, moça. Compartilho teu raciocínio.


    Em 9 de Setembro de 2014 às 19:05, Luiza escreveu:

    Discordo de você. As campanhas não focam em propagandas na mídia, em relação a não ter filhos, porque a Igreja, que não vou citar qual, mas todos devem desconfiar, não permite. Infelizmente somos um “Estado Laico” somente no papel. Por debaixo do tapete, ela governa nossas vidas.


Em 17 de Março de 2014 às 20:15, Angelita escreveu:

Muito bom o texto…concordo em tudo!!!


Em 21 de Março de 2014 às 16:59, Luca escreveu:

ACHO UM PÉ NO SACO CHORO DE CRIANÇA,NÃO TENHO A MINIMA PACIÊNCIA, TENHO 36 ANOS, SOU UMA MULHER REALIZADA POIS AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO DORMIR DOMINGO ATÉ TARDE E O PRINCIPAL MEU PLANO DE PREVIDÊNCIA SERÁ USADO PARA O MEU BEM ESTAR NA VELHICE,SOU EGOÍSTA SIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM,E ME AMO SIMMMMMMMMMMMMMMMMMM…E AÍ VOU SER PROCESSADA KKKKK… E VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO!!!!!!!!!!!!!


    Em 24 de Agosto de 2014 às 23:43, Dimas escreveu:

    Falou tudo!!!!! cheguei até aqui pois vi hj na rodoviaria um cara emburrado, e sua esposa mais ainda. Ele levava em seus braços uma criança chorona, mais duas os acompanhavam, e a mulher levava um carrinjo com outro…. pensei ” nossa o que leva a pessoa a isso?!?” kkkkk concluo que nao quero isso pra mim nao… janmeeeeee :D


Em 8 de Abril de 2014 às 0:28, Maridê escreveu:

Ter filhos ou não é o querer de cada um , Deus nos deixou o Livre Arbítrio !
Somos responsáveis pelos nossos atos ! Tenho 35 anos e não gostaria de ter filhos , tenho motivos fortes ! Estou bem assim , filho não é brinquedo , na dúvida é melhor não ter !Filho é algo sagrado , conheço várias pessoas que tiveram apenas por cobrança ou pra mostrar pra sociedade ! E no entanto hoje vê os filhos como um estorvo , por isso eu digo pensem bem !


Em 10 de Abril de 2014 às 9:24, Isa escreveu:

Concordo com cada palavrinha desse texto. Meu problema é que meu marido quer filhos e eu não, isso está desgastando nosso casamento e não sei até onde podemos chegar com essa divergência.
Parabéns pelo texto!


Em 13 de Abril de 2014 às 21:15, Tina escreveu:

Tenho 34, meu marido 42. Não queremos ter filhos, no nosso ritmo de vida não cabe uma criança, muito menos um bebê. A família esperneia, gostaria de nos ver com filhos, mas não vai rolar. Acho que isso deveria ser mais respeitado assim como respeitamos a decisão de quem deseja ter 1,2,3,5,10 filhos. Cada um sabe de si, do que deseja e do que acha que cabe na própria vida. Acho uma tristeza, uma grande intromissão, quase falta de educação mesmo as pessoas tentarem impor a sua forma de pensar aos outros. Eu não me acho no direito de dar palpites na vida de ninguém, exceto na minha. Deveria ser simples assim.


Em 23 de Abril de 2014 às 0:38, adri escreveu:

Eu não fiz a opção pela maternidade. Já fui casada anteriormente e também não tivemos vontade de ter filhos.
Acabei de terminar um relacionamento de 3 anos, devido ao fato do meu companheiro ter uma filha e uma ex mulher que o cobra constantemente sobre o exercício da paternidade. Que eu penso que deva realmente ocorrer já que a criança existe.
Ocorre que ele não possui também essa vontade de ser pai, segundo ele nunca teve, foi não planejado. Ele diz que sempre escolhia mulheres que não tinha filhos para namorar por não querer filhos.
Ele é um cara maravilhoso, um grande amor de pessoa que eu tive que deixar devido a situação de eu sempre estrar entre ele, a ex e a filha de dez anos que requer um pai. Como isso é complicado… e desgastante.
Nossa, é muito difícil para mim tomar essa decisão, mas só me resta prosseguir.
Ou eu aceito compartilhá-lo com essa família anterior, ou sirvo de mãe por tabela.
Nem ele gosta desse papel, mas não tem jeito e assume com deve ser.
Quando comecei o namoro fui clara com a situação de não querer cuidar de criança
mas a vida nos leva e as situações vão acontecendo.
Estou com 50 anos e ele com 43 e todo mundo cobra da gente esse papel de pais e já nos mandaram até adotar.Quando falo que fiz opção por outros valores o pessoal enlouquece e me taxa de egoista.
Não é só ele ir visitar a menina, mas há uma série de envolvimentos emocionais com a criança e com a ex. Isso corroe minha alma porque fica sempre uma “triangulação” da situação. Rola ciúmes de ambas as partes, bem como requer um jogo de cintura que não possuo.
Assim, esses que criticam os que não querem filhos seus ou dos outros que olhem pelos seus próprios filhos e para suas próprias vidas! Na maioria das vezes os seus próprios filhos não são tão bem cuidados ou amados e respeitados como deveriam ser.
RESPEITEM O LIVRE ARBÍTRIO DOS QUE NÃO PENSAM IGUAL!!!!


Em 25 de Abril de 2014 às 15:04, António escreveu:

Não quero ter filhos e concordo que é um desejo egoísta, mas eu tenho esse direito, não é proibido ou como dizem os religiosos “pecado” eu posso dissidir ter ou não ter filhos não importa qual argumento uso como desculpa. pessoalmente não gosto de bebes, não me vejo sendo responsável por um ser humano.


Em 4 de Maio de 2014 às 4:43, Ana escreveu:

Cada um tem o direito de ter ou não filhos. Eu escolhi ter minhas filhas, sim eu tenho duas, as duas planejadas. Mas é uma pena que vcs jamais sentirão ou saberão o que é este amor que move montanhas, em que você daria a sua vida se preciso fosse, é tanto amor que não tem explicação, é um amor incondicional que só mesmo quem sente sabe. Filho traz gastos? traz com certeza. Filhos choram de madrugada quando você está no seu melhor sono? sim eles choram. Eles ficam doentes e você tem que cuidar? sim com certeza…mas tudo e qualquer esforço vale a pena… Vi argumentos ridículos em alguns comentários do tipo “querem ter filhos para que sejam cuidados na velhice” isto nada tem a ver com maternidade, ninguém pensa ” vou ter fihos para que cuidem de mim”, quem fala isso não sabe o que diz. Outros preferem ter cachorros para não ter compromisso…e nós somos os egoístas…respeito todos cada um tem direito de pensar e fazer o que quiser com sua vida, mas não falem sobre sentimentos que vocês não conhecem, não argumentem sobre situações que não viveram…Só pode falar quem já teve um filho! e quem já teve sabe é amor pra vida inteira!


    Em 6 de Outubro de 2014 às 23:52, Evelyn Calixto escreveu:

    Entendo sua posição de ter filhos Ana, compreendo e respeito, mas ao meu ver ninguém aqui quis generalizar, existem muitas pessoas que pensam “vou ter filhos para que cuidem de mim” como existem pessoas como você que não pensam assim, que querem somente ter uma família e amar seus filhos. E ter cachorro é ter um compromisso sim, acho que cuidar de qualquer ser vivente é um compromisso e responsabilidade, pois é uma vida que está ali.


Em 16 de Maio de 2014 às 0:41, Luciana escreveu:

Amei o texto e as discussões, foi uma super sessão de terapia pra mim. Li muitas das minhas convicções fundamentadas em conhecimentos e vivencias de outras mulheres que optaram em não ter filhos. O autor do texto descreveu toda angustia que sinto quando tento me convencer que talvez eu deveria “gerar uma vida”. Pra quê? Pra ser uma mulher completa? Pra viver um amor incondicional? E as consequências “disso” pra essa “nova vida” e pro mundo? Eu sei que é praticamente impossível pra grande maioria compreender essa linha de raciocínio mas, penso ser uma vertente real e esse é só um dos pontos que sustentam minha decisão. Já as discussões mostraram pra mim que os argumentos mais utilizados para nos tentar convencer que “nascemos pra parir” são frágeis, questionáveis, muitas vezes preconceituosos e ditadores. Ou seja, não sou um ET e existem outras pessoas que compartilham das minhas convicções, o que me conforta e me faz mas uma vez me lembrar que devemos respeitar a vontade e a opção de cada um, em todos os aspectos, sempre. Vou gravar esse link. Parabenizo os autores pelo texto!


Em 20 de Maio de 2014 às 20:37, Paula escreveu:

Bem, concordo com quem não quer ter filhos sabe. Muito bem escrito o texto e acho que a mulher tem direito sim de escolher se quer ou não ser mãe. Eu por exemplo tenho muita vontade de ser mãe. Mas ao mesmo tempo tenho meus medos e indecisões, já parei o anti 3 vezes e me arrependo e volto a tomar. Acho que a decisão de ser mãe é muito séria. Muitas responsabilidades, toma seu tempo, a vida a dois não será a mesma e sem esquecer os gastos. O custo de vida hoje está cada vez maior! hoje uma mulher para ter um filho deve pensar bastante mesmo, avaliar sua situação financeira e se está disposta a passar por varias provações.


Em 21 de Maio de 2014 às 23:34, Janaína escreveu:

Nossa, o que o autor do texto escreveu condiz com o meu estilo de viver, os comentários sobre “filhos não são uma continuação do que eu não poderei ser”, são esclarecedores, gostaria que todas as pessoas que perguntam a mim e ao meu marido porque não queremos ter filho dessem uma olhada neste texto e em seus comentários, principalmente nas partes onde há depoimentos sobre idosos abandonados.
Obrigado!


Em 27 de Maio de 2014 às 4:39, Adriana escreveu:

Optei por não ter filhos e estou enfrentando muito preconceito. Não me sinto uma pessoa egoísta e nem que mereça ser amaldiçoada por isso. Por mais que as pessoas finjam que respeitam as opiniões uns dos outros, sempre vão te julgar por isso. E eu já ouvi de tudo, desde o argumento de que não serei mulher de verdade se não for mãe, até a parte que as pessoas insistem em defender a ideia de que quem não tem filho vai morrer sozinho. São inúmeros os argumentos e as listas de prós e contras. O fato é que filho é coisa séria, não é uma forma de se sentir garantido no futuro e nem de ter cumprido com a sua “obrigação” na terra. Gostaria muito que a opinião de pessoas que como eu, optaram por manter suas convicções, sejam REALMENTE RESPEITADAS. Afinal de contas, somos seres racionais, donos de nossas vidas, capazes de arcar com qualquer que sejam as consequências de nossos atos. Outro fato é que esse assunto não está aqui para ser debatido nos termos “vc está errado”, “acho isso ou acho aquilo”… Não queremos ser convertidos a pensar como os outros, o que seria mais fácil, ou seja, estamos aqui para compartilhar experiências e se apoia e nenhum argumento contra isso será considerado, pois isso já temos no nosso cotidiano. Eu me sinto oprimida e cheguei até esse blog por achar que encontraria pessoas que estão passando pela mesma situação que estou. Então, se vc está lendo essas mensagens, não julgue nenhuma dessas pessoas que aqui se encontram, pois, cada um sabe da sua realidade e se tomou essa decisão, bem mais difícil do que vcs pensam, podem ter certeza que já avaliaram todos os pontos que afetam sua vida. De modo que, não são os seus argumentos que vão mudar isso na vida dessa pessoa, definitivamente, ofensas e rótulos não vão mudar a minha vida e nem influenciar na minha decisão. Afinal de contas, quem é que vai ter que criar o filho que a sociedade me pressionou a conceber??? Agradeço ao criador do blog pela coragem. É muito bom saber que não somos os únicos a pensar dessa forma e que a liberdade prevalecerá apesar de toda a intolerância que nos rodeia. Abraços!


    Em 27 de Maio de 2014 às 13:22, Ricardo Lira escreveu:

    Adriana, você usou o termo perfeito – ‘oprimida’. É assim que me sinto. Quem não deseja filhos é visto como quase um psicopata. No mínimo, um ser egoísta. O preconceito é difícil de disfarçar. Sinto-me quase em ET quando declaro o que sinto em relação a filhos. Meu pai certamente teve alegrias com os filhos, mas também morreu sem paz, pensando neles. Fomos motivo de preocupação por toda sua vida. As pessoas parecem ver apenas vantagens em ter filhos. Só se dão conta do alto preço após tê-los. Por favor, respeitem a opinião de quem não deseja filhos. O mundo não existe para pensar igual.


Em 1 de Junho de 2014 às 20:40, Lóren escreveu:

Não quero ter filhos! Não quero tê-los por N razões e não me sinto menos amanda por Deus e menos especial que ninguém!!!
Sonho em viajar o mundo! Sonho em morar fora! Eu e meu esposo somos muito felizes sem ter filhos! Tenho 27 anos, as pessoas dizem que sou jovem e que essa vontade ainda terei, porém tenho amigas da minha idade q já decidiram pela maternidade… e eu vejo a quantidade de mudanças na vida delas! Primeiro lugar é o filho, as vezes mais que o marido, é aí q o casamento começa a afundar… A mulher não tem mais vida! O amor incondicional… Bom deixo isso para Deus.. Pois Ele nos ama incondicionalmente.. Amar tanto para que? Sério mesmo??!!! Para que? Para não ter mais vida? Para não usufruir de uma vida com paz e tranquilidade? Para renunciar a tudo na vida? Para não ter tempo de se cuidar? Não tenho vontade e com certeza não terei mas já adianto, que sofro muito preconceito, até das amigas que são e querem ser(mais que tudo no mundo) mães! Mas ninguém entende que eu não quero! Não tenho vontade de renunciar tudo de bom na minha vida para ser mãe! Amo meu trabalho, amo minhas viagens e passeios(que seriam impossíveis com crianças!!!), amo meu marido para perdê-lo! amo meu corpo! Enfim! Me julguem o quanto quiserem! Mas não vou mudar de opinião e nem me sentir oprimida por causa da sociedade ditadora! PRONTO FALEI!


Em 5 de Junho de 2014 às 17:31, Samanta escreveu:

Olá! Gostei muito do texto! Um dos poucos artigos que já li sobre o tema que fala abertamente e honestamente sobre esta questão. Tenho 39 anos e sou casada a 7 anos. Eu e meu marido não queremos ter filhos por diversos motivos, entre eles porque não temos uma verdadeira vontade em nosso íntimo e, creio que para tomar uma decisão desta magnitude e decidir ter filhos, uma das coisas mais importantes é ter este sonho latente em seu coração, pois só assim acredito ser possível nos empenharmos 100% na criação de uma criança e dar a ela tudo o que for necessário, uma boa criação e muito amor. Desde pequena eu não tenho vontade de ser mãe, na adolescência, precisei criar meu irmão mais novo p/ minha mãe trabalhar e foi uma experiência maravilhosa, até hoje ele me chama de segunda mãe. Cresci num lar amoroso, amo meu irmão que criei como a um filho, etc mas mesmo sabendo um pouco sobre como é esta experiência e tendo muito amor em minha família, eu não sinto a menor vontade de ter filhos. Acho que egoísmo não é fazer esta escolha, egoísmo é colocar uma criança no mundo “por que tem que ser assim” “pra cuidar de nós na velhice” e, a pior delas: “porque só tendo filhos é que seremos completos”! Tenho pavor quando usam este argumento comigo, não tenho filhos, sou feliz assim, ajudo as pessoas sempre que posso, dou muito amor ao meus familiares, amigos e para pessoas que necessitam ao meu redor. Não tenho coração de pedra, simplesmente prefiro azul enquanto uns preferem verde. Acho que as pessoas fazem um estardalhaço muito grande com a escolha alheia, sendo que vejo como algo bem simples e prático. Se nossas escolhas não estão fazendo mal a ninguém, porque esta alarde todo? Cada um na sua :) Eu não quero e você quer , e daí? Cada um segue seu caminho, o mundo seria bem melhor se as escolhas dos outros não afetassem a gente, por isso existe também tantos conflitos hediondos com relação à sexualidade, etc. As pessoas ficam preocupadas com o que a outra faz na cama, faz da vida, faz na casa… aff. No que isso vai mudar minha vida? em nada, já temos tanto que nos preocupar e ainda ficar pentelhando quem optou por uma vida diferente me parece desgaste desnecessário. Respeite a opção do outro e pronto :) Beijos a todos os pais e não pais, que sejam felizes com suas escolhas e usem toda esta energia para coisas mais importantes do que ficar se preocupando com a vida alheia :-*


Em 7 de Junho de 2014 às 6:55, Édina escreveu:

Eis a questão que não cala, também estou nesta fase de ouvir da maioria “e os filhos??”….tenho 27 anos e um namorado a 2 anos, combinamos muito nessas questões de filhos e tal.. este ano resolvemos morar juntos, estamos construindo nossa casa (com UM quarto apenas)para espanto da família, principalmente das cunhadas… ficam super espantadas quando digo que não temos planos de ter filhos, é simples, não queremos e pronto…
No meu caso ainda entra a questão religiosa, não sou religiosa e não tenho crenças, nada contra quem tem, minha família é católica, fui criada no meio mas depois que criei a minha própria opinião percebi que realmente não acredito em deus ou santos ou a religião que seja…. então, imagine eu com um filho, se tivesse ia criá-lo sem religião, para quando pudesse ele mesmo escolheria… mas acredito que seria impossível ou realmente muito difícil com a pressão da maioria “como não vai batizar? Vai crescer pagão!!” e por aí vai… sem falar em escola, a pressão que a própria criança iria passar….
Mas religião é um assunto a parte… no caso do assunto aqui, eu defendo o direito da escolha, é minha vontade não ter filhos, gosto de crianças, nem por isso preciso ter uma, e também penso em toda essa “coisa” que o mundo está virado, não teria coragem de por um ser a mais nele, e não penso na velhice, velhice também é outro assunto…
Abraço!


Em 9 de Junho de 2014 às 23:48, Aline escreveu:

O texto é muito bom, parabéns, permita-me complementá-lo!

Se fosse uma vontade verdadeira as pessoas adotariam. Fato

Aliás isso sim, é um gesto de amor. E não adianta adotar só porque não conseguiu gerar filhos, conheço muita gente assim. Tentou, tentou, foram à clínicas e não conseguiram, gastaram dinheiro. Aí em último caso, decidem adotar.

Gerar filhos, na verdade vou resumir em alguns tópicos:
Egoísmo é o primeiro, isso mesmo, ex: porque quero que meu filho tenha a cor dos meus olhos, o cabelo do pai, ou então a inteligência do tio e etc…

Narcisismo: Adotar não, ( tem gente que pensa que é uma ofensa se você sugerir isso) Tá louca? Adotar? E se for filho de um ladrão? E se for filho de um traficante? Entendi, você se acha tão perfeita (o) tão maravilhosamente perfeita que não pode adotar, sua família não tem problemas, é claro, é uma família perfeita!!! Esquecem de um detalhe, com muito amor e carinho essa criança seria um bom filho. Enfim, quero do meu sangue, quero um filho meu, em outras palavras, eu me amo, e preciso gerar um filho meu, perpetuar meus maravilhosos e perfeitos genes.

É uma forma de previdência, isso mesmo. Ex: Ah quando eu for velhinho(a) quem vai cuidar de mim? tenho medo de ficar sozinho (a) na velhice, ao menos meu filho poderá me sustentar e cuidar quando adulto, afinal fiz tanto por ele, agora ele precisa reconhecer e compensar o meu esforço, dinheiro gasto, com roupas, escola, horas sem dormir… (esquecem que o seu filho, não pediu pra nascer)

Para mostrar pra sociedade que é um casal feliz, uma família feliz. Isso mesmo as pessoas acham que serão felizes com filhos, em especial às mulheres, porque necessitam preencher uma carência, que nem elas mesmo sabem que tipo de carência.
No final das contas, percebem que nada foi preenchido porque o problema está dentro de cada um, a felicidade está dentro de cada “sangue” e só depende de si mesmo.
E por último, mas não menos importante, cobrança da sociedade e da família, pressão, então mesmo sem vocação, e sem vontade de gerar filhos, acabam gerando. Isso acontece muito numa família grande, quando por exemplo, numa família de três irmas, duas já tiveram uma dúzia de filhos, mas a terceira ainda não. Então ela corre e gera mais filhos e o mundo se explode cada vez mais de tanta gente!!

Infelizmente é a grande verdade. Doa a quem doer.


    Em 12 de Junho de 2014 às 4:07, Juliana escreveu:

    Parabéns pelo texto. Adorei!! Me identifico bastante nessa situação. Estou completamente de acordo quando a questão é o direito de escolher ter ou não ter filhos. Devemos sim respeitar aqueles que o desejam, porque faz parte do ciclo natural da vida. Mas, nem todos nesse mundo, sentem essa vontade de ter filhos. Acredito que essa decisão,não faz ninguém melhor ou pior.
    Com todo respeito, não dá pra deixar de comentar a falta de compreensão de “alguns” que passam por aqui pra criticar. Esse é um blog pessoal onde o administrador pode postar suas opiniões livremente. Mas,infelizmente, sempre tem uns e outros(as),que ao invés de expor sua opinião contrária de uma forma educada, vem com preconceitos e insultos aos que pensam o contrário.
    Costumo usar uma simples frase pra esse tipo de pessoa: “Se não lhe agrada, não procura.”


Em 5 de Julho de 2014 às 9:56, Misaelli escreveu:

Cara, tô aqui quase chorando de emoção por ver e presenciar a opinião de pessoas que pensam com o cérebro, e não com os desejos que nem sempre se devem realizar. Olha, tenho 17 anos e muitas pessoas me chamam de velha por simplesmente ver a verdade do mundo, da vida em que vivemos. Egoísmo é a palavra chave pra descrever o ser humano quando se trata de quase tudo. Se esse ser ama um possível futuro filho, porque ele não para e pansa que a vida é muito dura e cruel para com todos nós? Se nós temos a responsabilidade de cuidar de uma criança se nós a geramos, temos a responsabilidade sobre toda a vida dela, independente da sua idade e fase. Quando as pessoas ditas “racionais” geram crianças, só pensam na sua própria felicidade, nos seus próprios sentimentos como pais, mas param pra pensar na felicidade e sentimentos dos filhos??? Duvido muito! Quando as pessoas pensam em um futuro onde se tem filhos, a primeira coisa que passa na cabeça é a imagem daquele bebê lindo e maravilhoso que saiu de dentro de “você” e o quão gostosa é a sensação de ter um bebê na barriga (realmente é muito lindo) , mas já pensou se essa criança nasce com alguma doença que a impeça de viver como qualquer outra pessoa normal? Eu sei que isso são coisas que acontecem e nem sempre é culpa dos pais, mas se futuramente essa criança passar por uma grande dificuldade em relação aos dias violentos nos quais vivemos, falta de tudo o que precisamos para sobreviver (como água e alimentos) , pode ter certeza que a culpa é exclusivamente sua por não pensar antes, ou pensar e mesmo assim não se importar por achar que isso nunca vai acontecer (irresponsabilidade e irracionalismo da parte dessa pessoa) , ou ainda, por achar que pode tudo e defenderá o filho do mundo (burrice). Acho que amor de verdade é quando você se importa tanto ao ponto de não pensar nos seus prazeres, mas sim, pensar que é melhor pra criança o fato de não existir, do que existir e sofrer muito. Sinceramente eu nunca quis ter existido, porque eu acho que a vida não vale a pena, e eu pretendo adotar duas crianças pra dar a elas a oportunidade de ter uma vida digna de seu nascimento e abandono por parte do irracionalismo de seus pais biológicos, porque pra mim, isso é amor de verdade. :)


    Em 5 de Julho de 2014 às 19:22, ana escreveu:

    Misaelli, seu comentário é perfeito! Eu concordo com cada palavra que você escreveu. Se as pessoas pensassem assim como eu, você e tantas outras não estaríamos vivendo essa era de orgia reprodutiva!


      Em 5 de Julho de 2014 às 21:22, Misaelli escreveu:

      Muito obrigada Ana, diferentemente das pessoas que optam por simplesmente não se preocupar com a vida em si, existem sim as que preferem ser humanas realmente (como nós :) )


Em 7 de Julho de 2014 às 2:17, Ana escreveu:

Misaelli, se fosse amor mesmo, e vontade verdadeira de cuidar de uma criança, de amar o próximo as pessoas adotariam, como você pretende adotar, e eu também quero adotar. Perguntas que não quer calar; qual a diferença de uma criança que não seja seu sangue? e de uma criança de outra pessoa? É ser humano, foi gerado da mesma forma (relação sexual), segundo a Bíblia não somos todos irmãos? Porque as pessoas não seguem esse preceito bíblico? Mas como você escreveu, pensam na sensação de ter o ser na sua barriga, se parecer com o pai, com a mãe e etcc…

Isso tudo resume-se ao egoísmo, só estão pensando no seu bel prazer e traduz como algumas pessoas são egocêntricas, com o orgulho e soberba, se acham o “supra-sumo” com uma fixação do ser humano em relação a si mesmo.

Eu não quero ter a culpa de causar qualquer tipo de sofrimento a um ser humano, ao colocá-lo no mundo e me tornar responsável por tudo que acontecer com esse ser: doenças, desilusões, angústias, sofrimentos, velhice e etc… e ainda ter que jogar na cara deles como muitos pais fazem: “seu ingrato, mal agradecido, sou sua mãe, na velhice você não vai me abandonar né?” e como você disse “a criança não pediu pra nascer”. Os animais são irracionais, só sabem procriar, porque eles não sabem quais as adversidades do mundo e da vida, agem por impulso sexual procriativo, mas nós somos seres humanos pensantes, podemos agir diferente.

As pessoas seguem alguns preceitos bíblicos que hoje em dia não podem ser aplicados, naquela época há mais de dois mil anos atrás, talvez era necessário “crescer e multiplicar”, mas a explosão populacional é tão grande que na China existe a política do filho único, ou seja, se o casal tiver mais de um filho é multado! Tamanha a falta de raciocínio de certas pessoas.

Graças ao “crescer e multiplicar” que milhares de crianças no mundo inteiro estão abandonadas, passando fome, se prostituindo para sobreviver, sem carinho, sem amor. Crescem adultos revoltados, infelizes, e isso reflete na sociedade, é um ciclo vicioso. A maioria das mulheres e dos homens, não têm vocação para serem pais, é por isso que as profissões de psicólogos, psiquiatras, terapeutas foram criadas, para tentar “ajudar” as pessoas que tiveram uma péssima infância, a serem adultos melhores.

Algumas pessoas acham que ter filhos é como “brincar de boneca” ao manipular a criança, a começar pelo nome que ela não escolhe, e exigências absurdas de profissão, modo de vida, se esquecem que cada ser é único. Eu poderia escrever um livro infinito, tamanho são os pontos negativas de se gerar filhos.


    Em 25 de Julho de 2014 às 2:25, Misaelli escreveu:

    É exatamente tudo que eu penso em relação ao gerar filhos, praticamente o ser humano é tipo um fantoche que se manipula tanto por si próprio quando pela maldita vida que é inevitável! eu fico realmente chocada com toda essa falta de humanidade ;( me pergunto qual o sentido da vida todos os dias.


      Em 25 de Julho de 2014 às 2:28, Misaelli escreveu:

      *Quanto* perdão.


Em 20 de Julho de 2014 às 23:38, camila escreveu:

Impressionante como me encaixei com esse pensamento, eu pensava que era só eu que pensava assim. Nunca desejei ter filhos e as pessoas que me ouviam falar, parecia que eu tinha falado uma aberração, um pecado. Concordo PLENAMENTE contigo!


Em 22 de Julho de 2014 às 12:38, Georgete escreveu:

Bom dia!
Meu marido é louco por crianças e quer ter filhos. Eu nunca brinquei nem de boneca, lembro que quando eu era bem pequena ouvia minha mãe dar conselhos para eu não ter filhos, e por influência dela ou não, eu não tenho um pingo de vontade de ser mãe.
Tenho certeza que se eu engravidasse para satisfazer meu marido, eu teria que tratar uma depressão pós parto. Já fiz tratamento por depressão grave antes por outro motivo que não vem ao caso.
Me sinto egoísta, afinal sou mesmo. Tenho 35 anos e tenho desgaste osseo em ambos os joelhos, meu ortopedista já me disse que não posso engordar que o peso pode ser meu vilão ( detalhe, peso 50kg com 1,67 d altura) e esse é kum dos meus motivos.. mas não é só esse, não tenho instinto de mãe, não me vejo presa a uma criança para sempre.. não quero amamentar, tenho repulsa só de pensar( minha mãe me conta que eu nunca quis mamar no peito, pq eu vou ter que amamentar? Eu não quero…)
Também não quero ver minha barriga cres endo, meus peitos inchando, sentir enjôo, falta de ar, perda de cálcio, evacuar em uma mesa de parto, ter uma episio devido a um parto normal e ficar com a vagina dilacerada, ou parto cesárea e ficar com uma cicatriz imensa.. também não quero ver minha barriga flacida depois de um filho com estrias.. tenho medo de não me aceitar depois de um filho.. ou de morrer tendo um filho.. ou pior ficar em uma uti para sempre.. trabalho em um hospital maternidade e não acho tudo lindo como muitas acham.. sim, os bebes são fofinhos, lindos, mas não quero ficar cuidando de um para sempre.. quero continuar meus estudos, quero sair do país, quero curtir minha vida.. e com o salário que eu ganho, não posso levar uma criança comigo.. sei que sou egoísta.. pois meus motivos são idiotas para a maioria das pessoas.. mas são meus reais motivos e eles me afetam muito.. se para meu marido for tão importante ter filho assim, eu o libero para casar com outra pessoa, mas não vou estragar minha vida..nao quero.. sei que se eu tiver filho para satisfazer ele, quem vai cuidar a maior parte do tempo sou eu.. ele com certeza vai poder viajar sem a criança, mas eu tenho que estar ao lado para amamentar.. eu vou estar com a criança..ele não.. e EU NÃO QUERO SER MÃE


Em 2 de Agosto de 2014 às 23:40, Ana Paula escreveu:

Você está certíssima. Quando era mais jovem pensava em ter filhos, porque amo crianças. Mas hoje pensei muito, penso que nem você, por um filho no mundo vai além de ter responsabilidade, precisa de dinheiro, tempo e muito mais que depende de outras pessoas. Como somos seres imperfeitos, não podemos esperar o bem dos outros, por isso existe a merda da guerra, etc. Vejo por este ´ponto, poupo os meus óvulos que poderiam gerar uma vida, que fiquem no paraíso de onde nunca serão dependentes dos sentidos e um corpo. Que fiquem apenas com suas almas eternamente no paraíso.


Em 7 de Agosto de 2014 às 9:01, antonio alberto escreveu:

Quantos mais não tiverem filhos em Portugal para mim melhor (ideias globais de haver muitas pessoas roçam a ingenuidade porque cada local é diferente), já caminho para o quarto filho, já sinto a minha superioridade em vários campos da sociedade, e ainda nem estão adolescentes, e ganho apenas 2 ordenados mínimos com a esposa desempregada pago casa ao banco mas uso carro usado não existem nem comidas nem roupas de marca, é tudo uma questão de gestão…
Com a falta de jovens qualquer atividade desportiva ou associativa no futuro vão estar a meus pés, inclusivé já sou abordado, para que eu incentive os meus filhos a lá irem… Depois uma família com vários elementos terá mais força na sociedade, mais contatos em áreas diferentes, mais poder para fazer diferença em votações e presenças públicas a favor do nosso pequeno grupo familiar. Basta imaginar a força das famílias da Mafia italiana, muito depende do tamanho da família, familias com quase ninguém serão o fundo da sociedade… e para mim é bom ter menos concorrência, e como tal aprovo que mais ninguém tenha filhos.
Depois a reforma, em Portugal o futuro vai dar uma reforma mínima, a SS está a criar lares de idosos para que quando ficarmos velhos deixem de nos pagar a reforma em troca de termos uma cama… Com vários filhos a probabilidade de alguém tomar conta de mim é muito maior, e a felicidade de um idoso a receber a presença de netos quando está fechado num lar é o momento auge de toda a sua vida e como tal também estou a trabalhar para a reforma e felicidade no fim de vida.
Apoio todos os casais que não querem ter filhos… em Portugal então com a redução de população, é a cerejinha que eu queria no topo do meu bolo.


    Em 9 de Setembro de 2014 às 18:27, Ana escreveu:

    Antono Alberto, (dois nomes próprios, inutilidade, assim como gerar mais filhos)

    Bom, mas vamos lá…. você acha que se as pessoas deixarem de ter filhos, existirá falta de crianças e isso prejudicará a sociedade?
    A prova de que você está errado, e de existe muita gente no mundo, são os orfanatos lotados de crianças para serem adotadas, em qualquer parte do mundo. Faça uma breve pesquisa se não acredita. A Índia e a China, estão lotados.

    Após adotar as crianças que estão pelo mundo jogadas, você começa a gerar seus próprios filhos. Pra você é fácil não? Só precisa ejacular, é fácil homem julgar.

    Garanto que ao invés de você fazer um ato de crueldade colocando seres inocentes nesse mundo, que não pediram pra nascer e sem necessidade. Você fará um grande bem pra você e para toda humanidade.


Em 13 de Agosto de 2014 às 12:54, Fábio da Silva escreveu:

Ter filhos é um colossal desconforto para a mulher. Ela sofre com os sintomas biológicos, com as dores na hora do parto e seu físico não volta mais a ser o que era antes. A celulite mostra-se sem solução e as estrias mostram-se irrecuperáveis. A mulher anula a sua própria vida para cuidar da criança e não sabe se terá o retorno desejado. Tenho vontade de dar gargalhadas quando vejo pessoas com idade próxima à minha (33 anos) sofrendo para controlar seus fedelhos e eu, em plena autonomia. Não tive pai, ele me descartou quando eu tinha duas semanas e meia de vida. Senti-me culpado por isso, pois a minha mãe também se lamentava muito pelo abandono proferido e cumprido pelo genitor. E isso minou a minha vontade de ter filhos.

Outra coisa: moro na maior cidade do Brasil (São Paulo, SP) e aqui – em todo o país – impera a indústria da pensão alimentícia. Se o homem e a mulher tiverem um filho e se separarem, ele deverá pagar uma quantia mensal à moça e à criança por até 1/4 de século. O que tem de mulher engravidando por aqui para ganhar a pensão é uma grandeza!!! Quantos casos já foram vistos, de homens que não pagaram (por vontade própria ou por insuficiência orçamentária) e acabaram aprisionados?

Se quiserem conferir, vejam por cada um.

É por essas e outras que digo que filhos são pura perda de tempo.


Em 16 de Agosto de 2014 às 4:20, Ana escreveu:

Achei ridículo o seu comentário Fábio da Silva, de que a mulher sofre com as dores do parto, com celulite e que nunca mais é a mesma…Meu Deus gerar um filho vai muito além disso! E quantas mulheres são bonitas depois de terem filhos? E quantas são cheias de celulite, estrias sem nunca terem gerado uma vida? A mulher anula sua vida por amor, um amor maior que tudo, maior que o mundo…sem explicação mesmo! Mas a mulher não precisa viver em casa cuidando de filho, quantas trabalham fora, vão pra academia, estudam? Quantas? em que mundo você vive? A mulher de hoje cuida do filho sem se anular isso era a muito tempo atrás!Hoje se ama , se vive, se trabalha, se conquista e os filhos são nosso maior incentivo pra buscar cada dia mais a realização de nossos sonhos!
Vejo na maioria dos comentários o medo,medo do desconhecido, medo do futuro, e em alguns certa paranóia…Mas cada um, cada um…cada um faz o que quer com sua vida.. mas o medo de pagar pensão é no minímo ridículo! Mulher de verdade não faz filho pra ganhar pensão…trabalha, conquista e luta e se a criança tem um pai é óbvio que deve arcar com suas responsabilidades! Filhos não são perda de tempo! sua mãe mesmo resolveu perder tempo com você e se você perguntar pra ela com certeza ela vai dizer que estar com seu filho é a melhor coisa do mundo! Respeito sua opinião mas não pude me calar diante de um comentario tão machista!


    Em 9 de Setembro de 2014 às 18:35, Juliana escreveu:

    EU como mulher, tenho que concordar com o Fabio da Silva,não achei um comentário machista, achei a realidade, porque infelizmente é assim mesmo. As mulheres sabem disso, são poucas as mulheres que passam ilesas de uma gravidez, a maioria realmente prejudica sua saúde e seu corpo. O homem coloca a semente, mas a semente se desenvolve no corpo da mulher, o trabalho está conosco, e isso é desgastante sim.

    Quando à pensão não sejamos hipócritas, em alguns casos, se o homem é rico, torna-se uma forma de profissão sim. Aliás quem tem muitos filhos, deveria pagar imposto duplicado, porque estão poluindo o mundo, com mais comida, mais roupa, mais gastos, mais tudo.


Em 28 de Agosto de 2014 às 17:34, Rúbia escreveu:

Poderia citar mil motivos para não ter filhos, mas o principal é que simplesmente não tenho vontade, e acho que todos devemos respeitar às vontades alheias, desde que essas vontades não prejudiquem ninguém!


Em 3 de Setembro de 2014 às 21:42, Sara escreveu:

Hoje cheguei muito mal em casa… estou farta de tanta pressão… parece que sou pior que um criminoso por não querer ter um filho. Estou cansada dos comentários maldosos, das indiretas na tentativa de descobrir se existe algum problema de infertilidade, no tom de deboche ao me contar que uma pessoa está grávida ou teve um bebê. Se eu quiser falar sobre o que vejo das mulheres que são mães, existem excessões, mas na maioria se tornam mulheres acabadas, gordas, estressadas, vivendo um casamento falido, só para poderem encher a boca e dizer que “eu sou mãe”, “eu sou mais gente que você”, quando na verdade morrem de inveja da minha coragem. Não estou aqui para julgar ninguém, quem sou eu pra fazer isso, escrevi essas palavras como um desabafo, já que a minha volta só existem pessoas que me condenam ou acham que minha opinão vai mudar, pode até mudar, mas com certeza será por pressão e não por minha livre vontade. Enfim, obrigada pelo espaço, vou seguir com meu fardo de ser vista como um ser que não existe, simplesmente porque sou adulta e fiz uma escolha, não sou respeitada, e quem deixa sua criança nas mãos de babás ou das avós, nem seguer olha um dever de casa da criança, essas pessoas são melhores que eu, só porque colocaram mais alguém no mundo.


Em 8 de Setembro de 2014 às 17:52, Fernanda escreveu:

Ótimo texto, ótimos comentários. Pessoas sinceras e bem resolvidas, nada de errado! Eu nunca sonhei em ser mãe, nunca achei lindo e romântico ficar uma bolota andando igual uma pata e criar uma criança mala (nem gosto de criança). Mas sou muito ‘família’ e sempre achei que se não tivesse um filho provavelmente me arrependeria mais tarde, pois amo a casa cheia da minha mãe onde cresci. Minha filha está com 4 meses, e de tanto esperar o ‘terror’ que seria a maternidade, acabei me surpreendendo com o lado bom. No meu caso isso foi o legal: não romantizei nem idealizei nada, e por isso acabou sendo bacana. Tem o lado ruim? Óbvio, como tudo na vida. Mas a parte legal, tá muito legal! Minha filha é um amor, meu marido incrível, e é demais viver td isso. Mas olha..não é pq virei mãe que me tornei uma imbecil julgadora, que aponta o dedo na cara de quem não quer ter filhos. ODEIO isso! Quem não quer, não quer! Simples assim. Quem fica julgando vocês realmente deve ter se arrependido de ter filho e tem inveja de quem não tem..só pode! Rótulos imbecis, regras idiotas…Vivam suas vidas sem filhos e sejam felizes mesmo. Danem-se esses caga regras. beijos


Em 19 de Setembro de 2014 às 15:30, Pocaontas2014 escreveu:

Boa tarde. Hoje procurei e encontrei este texto. Não li nem um quarto dos comentários, porque me dói muito a cabeça desde ontem, e também talvez por estar tão farta de pessoas que se julgam Deus e gostam de julgar e julgar. Dar opinião não é julgar. Dar opinião a quem está a passar por um momento conturbado emocionalmente, não é dizer “ah, tu és egoísta! E se fosse contigo?” e coisas assim…
O meu casamento está em ruptura…Casados há 7 anos, eu já tinha uma menina, na altura com 4 anos, que ele acolheu claro, mas nunca a soube amar verdadeiramente. Palavras dele. Até aí eu entendo e não o posso julgar por isso. Claro que sempre falámos em um dia termos um filho. Mas o tempo foi passando e passando, e não conseguimos ultrapassar várias diferenças e problemas que nos têm aparecido. Não somos um casal companheiro e amigo, como vejo muitos. Sei que nenhuma família é perfeita, eu sei disso! Mas nós nunca fomos verdadeiramente felizes e eu sempre me senti mal amada, mal acompanhada, não sei explicar…A minha relação com os pais dele é péssima! Foram contra desde o início, por eu ter uma filha, por ele ser filho único…enfim…a relação deles com a minha filha é nula, convivem porque tem de ser, mas carinho…esqueçam.
E assim fomos vivendo. Eu esperei que um dia eu tivesse a vontade e a estabilidade emocional e familiar para termos um filho. Não veio. Não consigo. De maneira nenhuma. Não consigo. Tento colocar coisas boas na cabeça e os prós desta decisão, mas as coisas negativas e os contras ocupam 80% do lugar nesta situação. Não cogito sequer a hipótese de voltar a engravidar. Por todos os motivos e mais alguns…
Já sei, já sei…que todos me vão cair em cima. Que é uma tristeza, que sou egoísta e se fosse ao contrário??? E que eu também não gostaria, já sei disso tudo.
E precisamente por saber e sentir isso, tomei a decisão de me separar. O meu marido não consegue mais conviver com a situação de não vir a ser pai. E ele tem direito a isso. A procurar a felicidade dele.
Estou muito triste, não consigo falar sem chorar. Nenhum de nós, apesar de todas as diferenças que nos separam e dos problemas que têm surgido, se queria separar. Amamo-nos. Mesmo com tantos desentendimentos, amo o meu marido e sei que me ama a mim. Mas não seria justo eu ceder a isto, como quem cede a comprar um carro, ou um barco, ou uma jóia nova. É um filho, por amor de Deus. Tem de ser mutuamente desejado! E eu não quero então consigo. Desculpem-me os mais sensíveis…
E obrigada pelo espaço.


Em 20 de Novembro de 2014 às 7:27, Renata escreveu:

Tenho 29 anos, não sou casada ainda (e nem é um objetivo, embora possa acontecer). Passei muito tempo pensando nessa questão de filhos. Esse texto e os diversos comentários me fizeram ter a certeza: eu NÃO quero procriar, mas SIM, terei os meus filhos.
É uma decisão que tenho desde muito nova, adotar. Sempre pensei em ter um filho biológico e adotar outros, mas, me pergunto: para que? O que tem de tão especial para que o filho TENHA que ser gerado por mim? Meus lindos olhinhos castanhos, rs?
Eu posso satisfazer o meu desejo de ser mãe adotando. Não tenho nenhuma expectativa em relação aos meus futuros filhos, eles serão amados e serão livres, só isso. Não imagino uma vida maravilhosa ao lado deles: serão pessoas com conflitos, como eu, e eu estarei disposta a caminhar nessa vida com eles, acolhendo e ajudando-os em seus conflitos. Amo viajar, penso até em adotar grandinhos já para botarmos o pé na estrada nas férias, conhecermos esse mundão aí afora…se ele não gostar de viagens, bem, veremos, hauahauahaua, acho que já estou imaginando demais…

mas é a única verdade da minha vida: não sinto a mínima vontade de procriar, de ter os órgãos espremidos, de sofrer: ao contrario, amarei esses aí que as mães abandonaram, apesar de eu ouvir todo dia que o amor da mãe por um filho é algo “inato” huahauahaua


« Comentários Mais Antigos

[Fonte RSS dos comentários a este artigo]

Comentar:

HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

*