Maracujá!

Sítio web pessoal de António Manuel Dias e família

Proposta para uma Nova Ortografia da Língua Portuguesa

1. Introdução

Já todos nos deparámos, concerteza, com aquela situação ingrata em que alguém nos pergunta se esta palavra se escreve com ‘Ç’ ou ‘S’ ou se aquela é com ‘G’ ou ‘J’. E de repente, como se o nosso cérebro ficasse bloqueado, temos de pegar em lápis e papel, para que a mecanização dos nossos gestos, habituados a tantas vezes escrever essa palavra, nos ajude. E se um adulto que sempre escreveu na nossa língua aceita sem questionar a nossa sugestão, grato por alguém o poder ajudar, já uma criança inteligente ou um adulto estrangeiro nos irá sem dúvida perguntar “porquê?“.

Apesar da língua portuguesa ser, das que conheço (português, francês e inglês), a mais fácil de escrever, aquela em que se tem de decorar a ortografia de menos palavras, não é menos verdade que, com a alteração de algumas, poucas, regras, se tornaria ainda mais fácil. Foi isso que me propus fazer e que vos trago aqui.

2. Objectivo

Encontrar um conjunto de regras de memorização simples que tornem a ortografia da língua portuguesa mais lógica e de fácil aprendizagem.

3. Nova Ortografia da Língua Portuguesa

Proposta, versão 0.3

Regra 1.

As letras ‘C’, ‘G’ e ‘X’ terão sempre o seu som natural. A letra ‘S’ também, excepto quando se encontra depois de uma vogal e antes de uma consoante ou no fim de uma palavra (por exemplo, pesca e aromas):

   C - como em "cão" e "informática"
   G - como em "gato" e "jogo"
   S - como em "sapo" e "penso"
   X - como em "xaile" e "deixa"

As palavras em que essas letras tinham um som diferente, passam a escrever-se com a letra ou letras do som correspondente. Exemplos:

   "parece" passa a "parese", "parecido" a "paresido"
   "génio" passa a "jénio", "astrologia" a "astrolojia"
   "visitar" passa a "vizitar", "previsão" a "previzão"
   "indexado" passa a "indecsado", "exacto" a "ezato"

Regra 2.

Como consequência da regra anterior, desaparecem da ortografia corrente as letras ‘Ç’ e ‘Q’, sendo substituídas por ‘S’ e ‘C’, respectivamente. Exemplos:

   "atenção" passa a "atensão", "serviço" a "serviso"
   "querer" passa a "cerer", "aquilo" a "acilo"

Deixa também de haver necessidade de colocar um ‘U’ depois da letra ‘G’ para construir os sons que actualmente se escrevem ‘Gue’ e ‘Gui’. Exemplos:

   "guelras" passa a "gelras", "guitarra" a "gitarra"

São ainda eliminadas as duplas ‘Ch’ e ‘Ss’ passando as palavras que se escreviam com essas duplas de letras a escrever-se com ‘X’ e ‘S’. Exemplos:

   "chaminé" passa a "xaminé", "achar" a "axar"
   "passado" passa a "pasado", "pessoa" a "pesoa"

Regra 3.

Desaparece o H mudo. Exemplos:

   "homem" passa a "ómem", "hélio" a "élio"

Regra 4.

Desaparecem os acentos graves, sendo substituídos em todos os casos por acentos agudos. Exemplo:

   "à" passa a "á"
   "àquele" passa a "ácele"

Regra 5.

A letra ‘Z’ no fim das palavras é substituída por ‘S’, acentuando-se a vogal anterior onde necessário. Exemplo:

   "fez" passa a "fês", "fiz" a "fis"
   "capataz" passa a "capatás"

Regra 6.

As regras anteriores não têm excepções.


Exemplo:

Pode ver o exemplo de um texto reescrito nesta versão da ortografia da língua portuguesa aqui.

Facebook

Comentar (RSS)  |  Trackback

18 comentários:

Em 23 de Outubro de 2009 às 12:20, Rui Quinteiro escreveu:

Bom Dia;
Parabéns por pasar esta ideia a escrito.
Estou completamente de Acordo e também várias pesoas minhas conhesidas; prinsipalmente jente mais nova e descomplesada.

Atrevo-me a sujerir-lhe que crie uma petisão; por ezemplo no site

http://www.peticaopublica.com
ou
http://www.peticao.com.pt

Cumprimentos e Corajem;

Rui Quinteiro.


Em 24 de Outubro de 2009 às 0:05, António escreveu:

Olá, Rui Quinteiro.

Seria interessante a utilização de uma petição para ver quantos malucos a assinariam :) Mas falando a sério, isto foi apenas uma ideia doida que me passou pela cabeça há uns anos. Se o novo acordo ortográfico está a dar tanto que falar e praticamente não altera a forma de escrever, imagina uma alteração destas!

No entanto, nada impede de continuares a falar do assunto e publicitá-lo: estás à vontade para copiar isto e difundir (mantendo a licença) :)


Em 2 de Fevereiro de 2010 às 15:11, Yasmim escreveu:

Eu achei essa nova ortografia a maior chatisseee!!!!! Muito enjuadaaaaa!!!!!!


Em 2 de Fevereiro de 2010 às 18:10, António escreveu:

Yasmin: antes de emitir opiniões sobre a nova, seria talvez boa ideia aprender a escrever na actual…


Em 23 de Maio de 2010 às 10:16, Pedro Pais de Vasconcelos escreveu:

Gostaria de saber quando é que estrá disponível um diccionário/corrector de português na nova versão do acordo ortográfico, para não ter de usar um brasileiro que já existe.


Em 23 de Maio de 2010 às 10:17, Pedro Pais de Vasconcelos escreveu:

Desculpem a gralha: estará


Em 24 de Maio de 2010 às 19:06, António escreveu:

Em 16 de Fevereiro de 2011 às 22:34, Manel escreveu:

Boa Noite;

Concordo com a ideia de uma Nova Ortografia da Língua Portuguesa, mas ocorre-me uma dúvida em relação às regras por si propostas…

Se as letras ‘C’, ‘G’ e ‘X’ terão sempre o seu som natural…

Como será a grafia de palavras tais como: Excepto / Excesso ? [Esseto]??? / [Esseso]???


Em 3 de Março de 2011 às 10:36, António escreveu:

Olá Manel.

Nessas palavras o X continua a ler-se como X e, portanto, mantém-se. Outro problema é o P — será que é mudo? É para algumas pessoas, para outras não, como o de Egipto. O mesmo problema está neste momento a acontecer com a aplicação do Acordo Ortográfico. Eu continuo a ler esses P, pelo que escreveria:

exsepto e exseso

Quem não os lê usaria exseto.


Em 2 de Abril de 2011 às 22:39, Jorge escreveu:

Como texto de humor não está mal. Enquanto proposta, respondo desta maneira: ABAIXO as invenções das luminárias. E abaixo o AO90, a pior masturbação intelectual da contemporaneidade. É impressionante como o Inglês, sem ter nenhum mecanismo legislativo de “mandar” na língua, só e apenas na base do trabalho da Oxford University Press, tem uma ortografia tão constante que quem consultar documentos do século XVII consegue lê-los tal como se fossem escritos hoje. Em Português é um exercício impossível graças às masturbações intelectuais das luminárias. E deve haver poucas línguas em que a ortografia está mais desligada da oralidade do que o Inglês.


Em 13 de Maio de 2011 às 22:26, naiara escreveu:

gostei parabens vc tam muito bem na lingua portuguesas?


Em 15 de Junho de 2011 às 19:12, António escreveu:

Certamente podíamos avançar para uma reforma da língua, mas há limites para tudo. O conhecimento de regras fundamentais da ortografia da nossa língua facilita-nos muito.
Por ventura, vocês têm conhecimento de algumas regras ortográficas? É assim, se todos os verbos fossem regulares, tudo seria mais fácil. Com a grafia, também se passa o mesmo. A título de exemplo deixo-vos uma regra: a seguir a um ditongo escreve-se X e não CH, quando o som for ch. Ex. xaile, eixo, frouxo.


Em 18 de Setembro de 2011 às 4:22, Talles Cabral escreveu:

Olá Antônio (desculpe, mas no Brasil se escreve assim, com acento circunflexo). Ri muito quando li este artigo, pois há dias atrás eu e meu amigo Abadio conversávamos exatamente sobre isso (inclusive, chegamos a colocar algumas dessas maluquices no papel), com ideias muito similares às suas, e algumas mais que eu gostaria de compartilhar aqui (já redigido pelas nossas regras:

Kada letra terá SEMPRE o mesmo som, eseto pela kolokasão de asento. Não averá mais neñuma letra “muda”.

As letras “C” e “Q” deixam de ezistir, e dará lugar aa recém intoduzida “K”. Asim, só ezistirá “u” após o “k” kuando a vogal for pronunsiada. Ezemplos: kualker, kerida, kaxorro.

Obviamente, o maldito “Ç” também dezapareserá, para alegria de todos os estudantes.

Só ezistirá “u” após “g” kuando for realmente pronunsiada a letra “u”. Nos demais kazos, “g” jamais será susedida de “u”. Ezemplos: linguisa, iguana, gilhotina.

Não averá mais palavras terminadas em “M ou N”, devendo ser padronizada: ou terminam todas com M ou todas com N, raios!

Aliás, a regra uza-se “m” antes de “p” e “b”, e uza-se “n” antes das outras konsoantes também deveria ser riskada da gramátika, já ke o som produzido é o mesmo.

Os únicos dígrafos ezistentes na lingua portugeza em serão o “rr” e “lh” (Ainda asim, pensamos que “lh” poderia ser substituído por “li”). Desa forma:
-“ch” será substituído por “x”;
-“ss” por “s”;
-“nh” será substituído por “ñ”, como no idioma español.

O “x” será substituído pela letra (ou kombinasão de letras) ke seu som reprezentava. Ezemplos: prolikso, ezato, ezmarido.

Uma Rekomendasão:

Pelo amor de Deus, akabem kom o ífem!!!

O objetivo prinsipau desta reforma será fazer do estudo da Língua Portugeza um MEIO, e não um FIM, como tem sido nas nosas eskolas. Afinal, a vida já é muito repleta de regras. Pelo menos na comunicasão verbal, ke já era uzada desde a preistória ela deve ser fleksibilizada.

(Modo português normal ON)

Obviamente, não é nada para ser levado a sério (espero que a sua proposta também não). Na verdade, o máximo que esperávamos com essa ideia maluca seria aparecer no programa do Jô Soares, que, para quem não sabe, é um programa famoso na TV brasileira, que foi plagiado por um tal Jay Leno da NBC americana (rs).


Em 18 de Setembro de 2011 às 22:50, António escreveu:

Telles, és mais radical que eu :)

Não gosto do ‘K’ (lembra-me sempre o KKK) e, apesar de também ter pensado no ‘ñ’ para substituir o ‘nh’ e ‘ll’ para substituir o ‘lh’, achei que seria melhor conservar a grafia corrente, já que não havia nenhuma incoerência.

Quando ao ‘m’ antes das letras ‘p’ e ‘b’, e ‘n’ antes das outras consoantes, tem uma razão de ser. Experimenta dizer bem devagar palavras nas duas situações e verás que quando escreves ‘m’ (por exemplo em ‘ambiente’ ou ‘pampa’) os teus lábios formam o ‘m’ antes de pronunciarem o ‘p’ ou o ‘b’ e em todas as outras situações (por exemplo ‘tanto’, ‘quando’) a tua língua formará o ‘n’ (ou perto) antes da consoante. É por isso que a grafia é diferente :)

É claro que nada disto é para levar a sério… e a minha geração aqui em Portugal também gosta do Jô Soares. Saudações atlânticas :)


Em 5 de Novembro de 2011 às 14:13, David Mendes escreveu:

Posso fazer uma sugestão ?
Vai ver a etimologia do tétun praça onde 65% das palavras são de origem portuguesa. :)
Para te deixar um gostinho de boca posso dizer-te que a tua sugestão foi aperfeiçoada ao longo de 400 anos pelos nossos amigos Mauberes.
Por exemplo: algumas das tuas regras são exatamente as que utilizam de tal forma que há letras que não existem sequer no alfabeto por desnecessárias. Só existem por exemplo 21 consoantes (ou melhor konsuantis) e o c nem sequer existe por exemplo. :)

Um abraço, ou melhor, Un abraso !
David

PS: Podes ver http://pt.scribd.com/doc/65477791/Historia-do-padrao-ortografico-do-tetum


Em 16 de Fevereiro de 2012 às 0:04, Francisco Santos escreveu:

O ALUPEC cabo-verdiano também tem muitas semalhanças com isso.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alfabeto_Unificado_para_a_Escrita_do_Cabo-Verdiano


    Em 16 de Fevereiro de 2012 às 12:10, António escreveu:

    Fantástico. Por acaso, com os teus conhecimentos de linguista, não me consegues arranjar referências para documentos e/ou livros escritos nas variantes mais comuns do crioulo cabo-verdiano, em conjunto com um dicionário? Ou, idealmente, manuais para a sua aprendizagem?


Em 18 de Maio de 2012 às 13:32, Natalia Perez escreveu:

Bom dia,

Meu nome é Natalia Perez, sou representante de empresa Jooble.
Estou interesada em publicidade no seu site. Me diga, por favor, quem eu posso contactar em relação a esse assunto?
Quais são as condições de publicidade, se falarmos sobre a cooperação de longo prazo?
Vou ser muito grata pela sua resposta rápida. Obrigada.


[Fonte RSS dos comentários a este artigo]

Comentar:

HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

*